A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


13/02/2016 07:00

Ex-primeira-dama teria usado canal público para se promover

Waldemar Gonçalves

Na mira I – Matéria publicada no site da Prefeitura de Campo Grande colocou a ex-primeira-dama Andreia Olarte na mira do MPE (Ministério Público Estadual). O texto gerou denúncia à ouvidoria do órgão, que abriu inquérito para investigar se a esposa de Gilmar Olarte, vice-prefeito afastado do cargo de prefeito em agosto do ano passado, usou a máquina pública para propaganda pessoal.

Na mira II – O texto de 10 de julho de 2015 traz o título: “Primeira-dama da Capital beneficia famílias com campanha do agasalho”. Andréia era presidente de honra do FAC (Fundo de Apoio à Comunidade) e o Ministério Público quer saber se ela recebia remuneração ou ocupava cargo remunerado.

Lula e Bumlai – 14 de março. É o dia marcado para o ex-presidente Lula depor, pela primeira vez, na Operação Lava Jato. Falará na condição de testemunha de defesa do pecuarista sul-mato-grossense José Carlos Bumlai, preso em outubro passado. Segundo trouxe ontem a Folha de São Paulo, o depoimento será por videoconferência, não sendo necessário que ele viaje até o gabinete do juiz Sérgio Moro, na sede da Justiça Federal em Curitiba (PR).

Protestos – Detalhe: um dia antes, domingo, estão previstos protestos contra a presidente Dilma Rousseff (PT) em todo o Brasil. Em Mato Grosso do Sul, entre os responsáveis pelo ato está o mesmo que postou na internet vídeo da “dança de quadrilha” em mesa de bar ocupada pelo deputado federal Vander Loubet (PT-MS), no começo desta semana, em Campo Grande.

Coalizões – Nada de afinidade partidária. Segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a Lava Jato mostra que coalizões políticas foram definidas a partir do pagamento de propinas com dinheiro desviado da Petrobras. A análise consta de manifestação de Janot ao STF (Supremo Tribunal Federal) contrária a pedido, do ex-ministro Antonio Palocci, que tenta anular delações premiadas.

Valor local – Enquanto a cantora Delinha pode estar prestes a se tornar embaixadora da Cultura de Campo Grande, a relação entre artistas e a Prefeitura não anda das melhores. Além de não receberam os cachês em dia, eles não têm valor para apresentações. Um famoso de fora impõe seu preço para se apresentar na cidade, mas o valor do show do fruto da terra é o município que determina, incluindo aí até apresentação da própria Delinha.

Sem convite – O governador Reinaldo Azambuja desmentiu boatos de que convidou o deputado federal Geraldo Resende para se filiar ao PSDB e disputar a prefeitura de Dourados neste ano. "Não houve esse convite, não tivemos essa conversa com o deputado Geraldo Resende", afirmou, durante agenda no município ontem.

Quilombolas – Suél Ferranti, que já foi candidato a prefeito de Campo Grande e ao governo do Estado pelo PSTU, disse que nesta eleição vai se dedicar à disputa na proporcional, como candidato a vereador. Ainda revelou que vai apoiar a escolha de representante dos quilombolas para a candidatura a prefeito no seu partido.

Sem moral – Prefeito de Naviraí, Leandro Peres de Matos (PV) abriu sete processos administrativos para apurar possíveis irregularidades cometidas por servidores públicos. A justificativa é de que a conduta dos servidores não condiz com a moral administrativa. A abertura dos processos consta no Diário Oficial da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul-Geral) de sexta-feira (12).

Pedetistas – O deputado George Takimoto garante que o PDT terá candidatos fortes em algumas cidades do interior, como Naviraí e Deodápolis. Nos dois casos se tratam de empresários da região. Já em Dourados, o principal nome, Adão Parizotto, desistiu de concorrer. Em Campo Grande existe disputa interna entre Felipe Orro e Dagoberto Nogueira.

(com a redação)

2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...
Secretário torce e comemora venda da folha
Torcida - Parecia um jogo valendo título a forma como o secretário de Finanças e Planejamento de Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, acompanhava a a...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions