A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 17 de Outubro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


12/05/2015 06:00

Falta de provas e novos nomes em escândalo sexual

Edivaldo Bitencourt

Boatos – Mais políticos com mandato podem estar envolvidos no escândalo sexual, que já custou o cargo de vereador ao empresário e pastor Alceu Bueno. A Polícia Civil, que conduz as investigações em sigilo, não confirmou o nome de nenhum parlamentar até o momento.

Sem provas – O grande desafio para a força-tarefa, composta por policiais do Gaeco e da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, é provar as denúncias contra os novos citados. Fabiano Viana Otero aceitou a delação premiada, mas não tem provas contra os 10 novos envolvidos no caso.

Vídeos – A Polícia Civil e o advogado de Orteo, Amilton Ferreira Almeida, destacaram, desde o início, que só dois políticos aparecem nos vídeos gravados pelas adolescentes: Sérgio Assis e Alceu Bueno. Este é o grande problema de novas denúncias já que não há imagem dos citados na delação premiada.

CPI – A CPI das Contas Públicas começou os trabalhos prevendo mais gastos. A comissão foi criada exatamente para descobrir porque as finanças do município ficaram no vermelho neste ano e obrigaram o prefeito Gilmar Olarte (PP) a promover vários cortes.

Sem pizza – Os vereadores prometem ir a fundo nas investigações e convocar todos os responsáveis pela atual situação. As convocações podem atingir integrantes das equipes de Nelsinho Trad (PMDB), Alcides Bernal e Olarte, ambos do PP.

Reajuste – Os servidores estaduais não vão ter reajuste de salário neste ano. O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) conta com parecer da Procuradoria Geral do Estado, que avalia a antecipação do reajuste anual obrigatório em dezembro do ano passado. Neste caso, ele cumpre a Constituição Federal e não precisa repor a inflação porque o aumento foi concedido com cinco meses de antecedência.

Reunião – O Governo deve receber os representantes dos sindicatos nesta terça-feira para apresentar a situação financeira do Estado. O objetivo é manter as portas abertas para a negociação, apesar da pressão por reajuste linear de 12% neste mês.

Baixas – O PMDB não dever ter baixas apenas na disputa para a Prefeitura de Campo Grande. Em Dourados, três cabeças coroadas do partido estão no páreo para suceder Murilo Zauith (PSB): Délia Razuk, Geraldo Resende e Marçal Filho. Pelo menos, dois devem deixar a sigla neste ano.

Capital – Em Campo Grande, o PMDB pode perder o principal quadro. Líder nas pesquisas sem o ex-governador André Puccinelli (PMDB), Marquinhos Trad teme não ter a vaga assegurada e busca respaldo jurídico para sair e não perder o mandato.

Na gaveta – Dois partidos novos devem ser criados neste ano e podem ser a salvação de quem sonha em ser candidato sem o risco de ser processado por infidelidade. O PL, proposto pelo ministro das Cidades, Gilberto Kassab, é o mais avançado. O segundo é o Rede, da ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. Mas tem outras siglas sendo cogitadas, com o Partido do Servidor Público.

(colaboraram Lidiane Kober e Antonio Marques)

"Nem a pau", diz Correa sobre desistir de ação contra JBS
Negativo - “Nem a pau”. Essa foi a reação do presidente da CPI da JBS, Paulo Correa (PR), à cogitação de retirar a ação contra a empresa, para preser...
Bonito quer bombar com shows gringos no Carnaval
Bombando - Empresários estão investindo pesado no Carnaval de Bonito 2018. Além da celebridade internacional Paris Hilton, uma das atrações em negoci...
Fábrica planeja investimento de meio bilhão em porto
Projeto ambicioso – Depois de inaugurar mais uma unidade em Três Lagoas, ampliando a produção de celulose, a Fibria negocia com a ampliação da estrut...
MS cumpre "regra de ouro" na finança pública
Melhor que os outros – Existe uma máxima em finanças públicas de que os governos, para não cair em estado de insolvência, não devem custear despesas ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions