A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 24 de Maio de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


12/05/2015 06:00

Falta de provas e novos nomes em escândalo sexual

Edivaldo Bitencourt

Boatos – Mais políticos com mandato podem estar envolvidos no escândalo sexual, que já custou o cargo de vereador ao empresário e pastor Alceu Bueno. A Polícia Civil, que conduz as investigações em sigilo, não confirmou o nome de nenhum parlamentar até o momento.

Sem provas – O grande desafio para a força-tarefa, composta por policiais do Gaeco e da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, é provar as denúncias contra os novos citados. Fabiano Viana Otero aceitou a delação premiada, mas não tem provas contra os 10 novos envolvidos no caso.

Vídeos – A Polícia Civil e o advogado de Orteo, Amilton Ferreira Almeida, destacaram, desde o início, que só dois políticos aparecem nos vídeos gravados pelas adolescentes: Sérgio Assis e Alceu Bueno. Este é o grande problema de novas denúncias já que não há imagem dos citados na delação premiada.

CPI – A CPI das Contas Públicas começou os trabalhos prevendo mais gastos. A comissão foi criada exatamente para descobrir porque as finanças do município ficaram no vermelho neste ano e obrigaram o prefeito Gilmar Olarte (PP) a promover vários cortes.

Sem pizza – Os vereadores prometem ir a fundo nas investigações e convocar todos os responsáveis pela atual situação. As convocações podem atingir integrantes das equipes de Nelsinho Trad (PMDB), Alcides Bernal e Olarte, ambos do PP.

Reajuste – Os servidores estaduais não vão ter reajuste de salário neste ano. O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) conta com parecer da Procuradoria Geral do Estado, que avalia a antecipação do reajuste anual obrigatório em dezembro do ano passado. Neste caso, ele cumpre a Constituição Federal e não precisa repor a inflação porque o aumento foi concedido com cinco meses de antecedência.

Reunião – O Governo deve receber os representantes dos sindicatos nesta terça-feira para apresentar a situação financeira do Estado. O objetivo é manter as portas abertas para a negociação, apesar da pressão por reajuste linear de 12% neste mês.

Baixas – O PMDB não dever ter baixas apenas na disputa para a Prefeitura de Campo Grande. Em Dourados, três cabeças coroadas do partido estão no páreo para suceder Murilo Zauith (PSB): Délia Razuk, Geraldo Resende e Marçal Filho. Pelo menos, dois devem deixar a sigla neste ano.

Capital – Em Campo Grande, o PMDB pode perder o principal quadro. Líder nas pesquisas sem o ex-governador André Puccinelli (PMDB), Marquinhos Trad teme não ter a vaga assegurada e busca respaldo jurídico para sair e não perder o mandato.

Na gaveta – Dois partidos novos devem ser criados neste ano e podem ser a salvação de quem sonha em ser candidato sem o risco de ser processado por infidelidade. O PL, proposto pelo ministro das Cidades, Gilberto Kassab, é o mais avançado. O segundo é o Rede, da ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. Mas tem outras siglas sendo cogitadas, com o Partido do Servidor Público.

(colaboraram Lidiane Kober e Antonio Marques)

Gaeco tem suspeita de vazamento
Desconfiança – O Gaeco (Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado), responsável pela investigação que aponta envolvimento de policiais militare...
DEM e a disputa entre André e Reinaldo
Já escolhi - Sobre a declaração de Puccinelli que estaria "namorando" o DEM, o deputado Zé Teixeira fez brincadeira para dizer de qual lado da disput...
Maioria prefere Lava Jato à Copa do Mundo
Copa? – Pesquisa do Instituto Paraná mostra que, a menos de um mês do Mundial da Rússia, o brasileiro não está muito motivado com o assunto. A consul...
Ex-ministro não errou o “do Sul”, mas...
Gafe - O ex-ministro Henrique Meireles (MDB) em um dos diversos discursos no evento em Campo Grande neste sábado (19) confundiu Mato Grosso do Sul co...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions