A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 22 de Outubro de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


29/05/2015 06:00

Guerra entre oposição e situação cria "barracos"

Edivaldo Bitencourt

Tensão total – A situação continua tensa na Câmara Municipal de Campo Grande. Oposição e situação estão, literalmente, em pé de guerra e qualquer discussão vira motivo para gritos, troca de acusações e quase luta corporal entre os parlamentares.

Duelo – Nesta quinta-feira, o bate-boca ocorreu entre os vereadores Paulo Pedra (PDT) e Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB). Os dois só não se agrediram fisicamente, diante de uma plateia barulhenta, porque houve intervenção dos outros colegas.

Antagonista – Paulo Pedra vem se tornando o grande antagonista dos vereadores da situação. O primeiro entrevero ocorreu entre o pedetista e o governista Airton Saraiva (DEM). Eles também trocaram ofensas em público e quase entraram no tapa.

DNA – As discussões mais acaloradas têm servido para mostrar de que lado estão os vereadores. Carlão, por exemplo, chegou a falar que é independente, mas, na hora do vamos ver, saiu na defesa do prefeito Gilmar Olarte (PP). Ele é um do cotados para suceder Edil Albuquerque (PMDB) na liderança do prefeito.

Independente da situação – Outro “independente” nesta condição é o vereador Chiquinho Telles (PSD). Ele vem alardeando que não está na base. No entanto, é um dos principais defensores da atual administração no legislativo e nas mídias sociais.

Reeleição – Os deputados federais de Mato Grosso do Sul votaram em peso pelo fim da reeleição. Alguns parlamentares sonham com a cadeira do executivo, seja na prefeitura ou no Governo do Estado.

Sonho meu – O deputado federal Geraldo Resende (PMDB) é pré-candidato em Dourados. Luiz Henrique Mandetta (DEM), Tereza Cristina Dias (PSB) e Zeca do PT sonham com a Prefeitura de Campo Grande. O petista ainda sonha em voltar ao Parque dos Poderes.

Bom, mas... – O governador Reinaldo Azambuja aprova o fim da reeleição para os futuros ocupantes do Parque dos Poderes. No entanto, como ainda tem direito, ele não descarta disputar a reeleição em 2018. Em Mato Grosso do Sul, a reeleição já beneficiou Zeca do PT e André Puccinelli (PMDB).

Justiça – O Tribunal de Justiça se transformou no principal aliado do Governo e da prefeitura para acabar com a guerra dos professores. Desembargadores cravam em 60% o percentual mínimo de professores dentro de sala de aula. Ou seja, o dobro do mínimo de 30% previsto em outras paralisações.

AlívioGilmar Olarte começa a respirar mais aliviado depois de meses de pressão. Ao obter acordo com os médicos, ele ganha força para enfrentar a paralisação das escolas públicas municipais. A primeira vitória foi evitar a greve dos servidores administrativos.

(colaboraram Juliana Brum e Lidiane Kober)

Dagoberto mente, diz liderança do PDT
É fake – As última declarações do deputado federal e presidente do PDT em Mato Grosso do Sul, Dagoberto Nogueira, sobre os pedidos de expulsão do jui...
Adeus a "Playboy" tem foto de bebida na mesa de bar
Despedida – Tem gosto amargo e dolorido, principalmente para as pessoas próximas, a última foto postada nas redes sociais por Marcel Colombo, conheci...
Campanha, tiro na escola e oportunismo
“Guerra virtual” – Não podia ser diferente. O episódio lamentável em que uma criança de 9 anos entrou armada na sala de aula em Campo Grande e atirou...
Justiça agora pode até cobrar Delcídio
Ainda à espera - A Justiça Eleitoral rejeitou o registro de candidatura de Delcídio Amaral (PTC) ao Senado, depois da derrota nas uras. A juíza Eliza...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions