ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEXTA  14    CAMPO GRANDE 33º

Jogo Aberto

O futuro de Reinaldo

Por Jogo Aberto | 03/11/2012 06:00

Muito cedo

Embora fortalecido após as eleições para prefeito de Campo Grande, o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) garantiu que ainda não pensa em seu rumo político para 2014.

Parceria

No entanto, admitiu que PT e PSDB podem caminhar juntos na disputa por conta da aproximação entre as legendas no segundo turno na Capital, quando apoiaram Alcides Bernal (PP).

Ansioso

O ex-governador Zeca do PT, vereador mais eleito em Campo Grande, disse que está “louquinho” para exercer seu mandato. Disse que já está preparando um projeto de lei para dar maior transparência a distribuição de casas populares na Capital.

Projeto popular

Ele disse que seu projeto vai colher 30 mil assinaturas em torno da regulamentação, além de já ter conversado com representantes de movimentos sociais sobre o tema. De acordo com a ideia de Zeca, uma comissão seria formada para acompanhar o processo.

De lado?

As declarações de Zeca pós-eleição, indicando que será mais um dos fiscalizadores do mandato de Alcides Bernal, e não defensor ferrenho apesar do apoio no segundo turno, podem ser lidas também como mais um sinal de que, na eterna disputa entre ele e Delcídio do Amaral, o senador e futuro candidato a governador pode ter levado a melhor em termos de espaço político na nova administração de Campo Grande.

Passo a passo

O deputado federal Vander Loubet (PT), candidato derrota na eleição para prefeito de Campo Grande, defendeu ser possível o congelamento do IPTU, que pregou durante sua campanha. No entanto, disse que se trata de um processo.

Auditoria

Para ele, Bernal tem que assumir a prefeitura, analisar as contas do município e fazer uma auditoria, levantando contrato por contrato. “Não dá para querer fazer antes dele assumir”, disse, defendendo que o progressista elabore o projeto no ano que vem, que vigoraria em 2014.

Mudança de foco

O vereador Athayde Nery (PPS) cobrou que, até o final do ano, os contratos da licitação do lixo, do transporte coletivo e da Santa Casa dominem as discussões na Câmara de Campo Grande. Para ele, o debate sobre o congelamento do IPTU, neste momento, é uma manobra para tentar “desgastar” Bernal antes mesmo de tomar posse. “Uma discussão plantada”, reclamou.

Difícil de largar

Há mais de 20 anos fazendo programa de rádio, de onde tirou boa parte de sua popularidade, o prefeito eleito de Campo Grande tem pela frente mais uma decisão complicada: vai largar o veículo que o projetou em nome da administração municipal?

Pensando

Sobre isso, as especulações são muitas e há quem aposte que, assim como fazem muitos parlamentares, mas seria inédito no Executivo, ele estuda dedicar pelo menos um tempo semanal ao rádio.