A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Maio de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


08/04/2015 06:00

O mau exemplo do Ministério Público Estadual

Edivaldo Bitencourt

Novas cores – O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) trocou as cores da administração estadual. Todos os símbolos do Parque dos Poderes estão sendo pintados nas cores verde e amarelo, que também fazem parte da bandeira de Mato Grosso do Sul.

Estilo – O tucano manteve a promessa de não incluir nenhum slogan na marca da administração estadual. Toda a propaganda traz apenas a frase “Governo de Mato Grosso do Sul”. A nova estratégia acaba com o personalismo que caracterizou a administração estadual desde a criação do Estado.

Ataques – O deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB) não se intimidou com a audiência e atacou a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) durante a reunião para discutir o reajuste na tarifa de energia. Ele criticou a conduta do órgão, que só descobriu o pagamento irregular de R$ 700 milhões da Enersul após uma auditoria.

Cordeiro – O peemedebista, que propôs a criação da nova CPI da Enersul, também não poupou críticas à concessionária. Ele disse que a empresa é “lobo na pele de cordeiro”. Trad foi relator da primeira CPI da Enersul.

Menos mal – A decisão da Aneel acabou sendo um alívio para os 942 mil clientes da Energisa de MS. O reajuste de 3,22% vai pesar no bolso, mas ficou muito aquém das previsões apocalípticas, que apontavam aumento de 40% a 70% neste ano na tarifa de luz. Contudo, a conta não vai ficar barato, considerando-se o reajuste extra de 27% e o aumento na bandeira.

Diversidade – O MPE (Ministério Público Estadual) decidiu acompanhar de perto as ações adotadas pelo poder público na área da diversidade sexual. O objetivo é acompanhar de perto das políticas voltada para travestis, gays, lésbicas e transexuais.

Disponível, mas... – O MPE cobra transparência dos outros órgãos, mas não dá o exemplo. Todos os editais destacam que os inquéritos estão disponíveis para consulta do cidadão. No entanto, as investigações seguem como uma caixa-preta dada a burocracia para consulta e, às vezes, nem a assessoria de imprensa tem acesso aos casos apurados pelos promotores de Justiça.

Prestigio – A maior parte dos deputados estaduais acompanhou a divulgação da auditoria nas contas públicas pelo governador Reinaldo Azambuja. Até o líder do PMDB, Eduardo Rocha, compareceu para ver o balanço, que apontou dívida de R$ 253 milhões e 301 obras paradas.

Defesa – Eduardo Rocha não defendeu o ex-governador André Puccinelli (PMDB). Ao ser questionado, o peemedebista destacou que Reinaldo deve olhar para frente e não pensar mais no passado. Ele defendeu o foco nos projetos prioritários.

Minha parte – Secretária estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, a vice-governadora Rose Modesto disse que implementou as medidas de austeridade na pasta. Ela cortou o número de comissionados em 20% e reduziu os gastos. No entanto, os investimentos no social não tiveram redução de nenhum centavo, segundo a tucana.

(colaborou Leonardo Rocha, Priscila Peres e Ricardo Campos Jr.)

Maioria prefere Lava Jato à Copa do Mundo
Copa? – Pesquisa do Instituto Paraná mostra que, a menos de um mês do Mundial da Rússia, o brasileiro não está muito motivado com o assunto. A consul...
Ex-ministro não errou o “do Sul”, mas...
Gafe - O ex-ministro Henrique Meireles (MDB) em um dos diversos discursos no evento em Campo Grande neste sábado (19) confundiu Mato Grosso do Sul co...
PMs presos têm “festival de ações”
Conhecidos da justiça - Entre as duas dezenas de policiais militares de Mato Grosso do Sul presos esta semana por suspeita de facilitar a vida dos co...
O entrave no cadastro de pedófilos
Entrave burocrático – Autor do projeto de lei que criou o cadastro de pedófilos em Mato Grosso do Sul, o ex-deputado estadual Carlos Alberto David, d...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions