A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 20 de Outubro de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


14/04/2015 06:00

Servidores enforcam 2ª e terão três feriadões em um mês

Edivaldo Bitencourt

Feriadão – O prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), decretou ponto facultativo no dia 20 de abril. Com a medida, os 22 mil servidores municipais terão mais um feriadão de quatro dias, já que vão enforcar a segunda-feira com o feriado de Tiradentes (21).

Terceiro – Os funcionários públicos municipais terão três feriadões em um mês. O primeiro foi a Semana Santa, que teve quatro dias – de quinta-feira a domingo. O último será do Dia do Trabalho, que começa na sexta-feira (1º) e vai até o dia 3 (domingo).

Sabatina – Os secretários de Administração, Wilson do Prado, e de Finanças, André Scaff, serão sabatinados hoje por vereadores, a partir das 16h, sobre os efeitos reais de cortes em plantões e gratificação de comissionados no equilíbrio das contas da prefeitura.

Insuficiente – Luiza Ribeiro (PPS) acredita que as medidas são “insuficientes”, enquanto Carla Stephanini (PMDB), presidente da Comissão Permanente de Finanças e Orçamento, pretende questionar até que ponto os esforços realmente tem efeito na projeção de déficit de R$ 339 milhões.

Sobrevivência? – Para o presidente da Câmara Municipal, Mario Cesar (PMDB), é preciso deixar claro se os atuais ajustes são para garantir “reajuste (dos servidores) ou sobrevivência” das contas públicas.

Nomes – O PMDB iniciou, ontem, a estratégia para retomar o comando da Prefeitura de Campo Grande. A sigla comandou a Capital por 20 anos consecutivos (Juvêncio César da Fonseca, André Puccinelli e Nelsinho Trad). O principal desafio será encontrar um nome forte para conquistar o eleitorado.

Fortes fora – Os principais nomes do PMDB devem estar de fora das eleições de 2016. Marquinhos Trad cogita deixar o partido. Já o ex-governador André Puccinelli e o senador Waldemir Moka anunciaram, ontem, que não vão disputar o pleito.

Sem expressão – O PMDB pode ser obrigado a apostar em nomes sem expressão no cenário. Os pré-candidatos vão de vereadores, deputados estaduais ao deputado federal Carlos Marum. Puccinelli pretende ser o cabo eleitoral, independente, de quem for o escolhido.

Ação – Os deputados estaduais do PT questionam na Justiça a portaria que tornou obrigatória a taxa de inspeção de segurança veicular. O pedido de suspensão da taxa, que oscila entre R$ 105 e R$ 120, foi feito no dia 9 deste ano. A decisão será do juiz Luiz Antônio Cavassa de Almeida.

Barulho – O deputado federal Elizeu Dionizio (SD) quer ouvir os organizadores das manifestações contra a presidente da República, Dilma Rousseff (PT). Ele propôs uma audiência pública sobre os protestos na Comissão de Direitos Humanos para ouvir os representantes do Movimento Brasil Livre.

(colaborou Kleber Clajus)

Adeus a "Playboy" tem foto de bebida na mesa de bar
Despedida – Tem gosto amargo e dolorido, principalmente para as pessoas próximas, a última foto postada nas redes sociais por Marcel Colombo, conheci...
Campanha, tiro na escola e oportunismo
“Guerra virtual” – Não podia ser diferente. O episódio lamentável em que uma criança de 9 anos entrou armada na sala de aula em Campo Grande e atirou...
Justiça agora pode até cobrar Delcídio
Ainda à espera - A Justiça Eleitoral rejeitou o registro de candidatura de Delcídio Amaral (PTC) ao Senado, depois da derrota nas uras. A juíza Eliza...
Clima de campanha não poupa nem festões
Todo lugar - O clima de campanha, neste segundo turno polarizado, não deixa escapar nem os casamentos. Durante festa no sábado no bufê Murano, na Ave...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions