A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 24 de Maio de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


30/06/2016 06:00

Sumiço de bermudas paraguaias intriga vereadores

Waldemar Gonçalves

Bermudas recolhidas – Depois da polêmica envolvendo a entrega de uniformes “made in Paraguai” a estudantes da Rede Municipal, vereadores de Campo Grande receberam denúncia de que as bermudas de material duvidoso fabricadas no País vizinho foram recolhidas pela Secretaria de Educação e os alunos estariam recebendo apenas camisetas, essas feitas no Brasil. Segundo parlamentares, o fato remete ao ditado que diz “onde há fumaça, há fogo”.

Comboio do uniforme – Na terça-feira, os vereadores enviaram requerimento à Prefeitura pedindo explicações sobre a compra dos uniformes. Mas, no dia seguinte, os requerentes Edil Albuquerque e Otávio Trad (ambos do PTB) concluíram que isso demoraria muito e resolveram ir pessoalmente cobrar explicações. Foram recebidos pelo secretário municipal de Administração, Ricardo Ballock, que “prometeu” providenciar a cópia dos documentos sobre a licitação, concorrentes, vencedores, pagamento e notas fiscais.

Luz para todos – Os parlamentares questionam também o destino de R$ 53 milhões, em caixa, provenientes da taxa de iluminação pública. Em 1º de junho, o prefeito, Alcides Bernal (PP), disse ao Campo Grande News que um grande projeto de modernização do sistema de luz era finalizado e seria anunciado por aqueles dias. Porém, até agora nada. Por outro lado, cumpriu a promessa de vetar a suspensão da taxa de iluminação, a contragosto dos vereadores.

Agora vai? – Pelo menos uma das polêmicas o prefeito promete finalizar na tarde da próxima sexta-feira (1º de julho), ao fazer a entrega simbólica de 42 casas construídas pelos ex-catadores removidos para o Vespasiano Martins. Porém, ainda não há previsão para o levantamento das casas nos outros três locais que receberam as famílias da Cidade de Deus: Canguru, Bom Retiro e Dom Antônio. Detalhe: a suplementação orçamentária para este fim já está liberada, no valor de R$ 3,6 milhões.

Pela tradicional família – O arcebispo de Campo Grande, dom Dimas Lara Barbosa, esteve na Câmara ontem para reunião sobre projeto de lei do Executivo contra “discriminação por preconceito à orientação sexual e identidade de gênero”. Para o líder católico, o texto precisa de alterações, já que igrejas são espaços públicos e, segundo ele, pessoas do mesmo sexo poderiam se beijar por lá, livre de repressões. O bate-papo envolveu Paulo Siufi (PMDB), Eduardo Cury e Herculano Borges, ambos do SD, e Roberto Santana, o Betinho (PRB).

Safadezas à parte – Já a vereadora Luíza Ribeiro (PPS) ponderou que igreja não é lugar para ninguém se beijar, independente de orientação sexual. “Tem muito hetero que é mais safado que gays e que aprontam muito. Então, não dá para generalizar nenhum dos lados”, defendeu. O vereador Eduardo Romero (Rede) entende que tal projeto é embasado no respeito e preconizado por lei estadual já existente. “Não vejo motivo para o alarde de alguns vereadores”.

Licença contra acidentes – O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), disse ontem que só falta a liberação de licença ambiental do Imasul, órgão do próprio Estado, para que a duplicação da Avenida Euller de Azevedo, em Campo Grande, receba a ordem de serviço para ser duplicada. Ele ponderou que este projeto vai certamente evitar novos acidentes na região.

Governo em tempos difíceis – Reinaldo mandou recado aos gestores, dizendo que é justamente na crise que os governantes precisam ser competentes, viabilizando projetos importantes para a cidade e Estado. "Governar em tempo de riqueza e fartura era fácil", comentou.

Cores do meu time – O governador não deixou de brincar com os estudantes, na entrega de reforma de escola estadual, nas Moreninhas. Explicou que o prédio tinha sido pintado de amarelo, verde e azul em função das cores da bandeira do Estado. "Existe uma lei estadual sobre o tema, o verde não é porque o governador torce pelo Palmeiras, até porque sou corintiano".

Comparação – O vereador Chiquinho Telles (PSD) não deixou de cutucar o prefeito Alcides Bernal (PP), durante a agenda do governador na Capital ontem pela manhã. Lembrou que "enquanto se discute tapa-buracos no município, o governo faz reformas e inaugurações na cidade".

(com a redação)

Gaeco tem suspeita de vazamento
Desconfiança – O Gaeco (Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado), responsável pela investigação que aponta envolvimento de policiais militare...
DEM e a disputa entre André e Reinaldo
Já escolhi - Sobre a declaração de Puccinelli que estaria "namorando" o DEM, o deputado Zé Teixeira fez brincadeira para dizer de qual lado da disput...
Maioria prefere Lava Jato à Copa do Mundo
Copa? – Pesquisa do Instituto Paraná mostra que, a menos de um mês do Mundial da Rússia, o brasileiro não está muito motivado com o assunto. A consul...
Ex-ministro não errou o “do Sul”, mas...
Gafe - O ex-ministro Henrique Meireles (MDB) em um dos diversos discursos no evento em Campo Grande neste sábado (19) confundiu Mato Grosso do Sul co...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions