A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


13/05/2015 06:00

Vereadores temem menos chance de reeleição

Edivaldo Bitencourt

Manifestação – Depois da saúde, amanhã será a vez da paralisação chegar na educação. Professores da rede pública estadual vão suspender as aulas em uma mobilização nacional. Em Mato Grosso do Sul, o protesto deve deixar 270 mil estudantes sem aulas.

Desafio – O Governo estadual não tem condições de conceder reajuste salarial aos funcionários públicos. Em reunião tensa, os sindicalistas bateram o pé de que não houve antecipação de reposição salarial. Os secretários de Governo, Eduardo Riedel, e de Administração, Carlos Alberto Assis, enfatizaram que o reajuste anual já ocorreu em dezembro do ano passado e ponto final.

Greve – Os médicos prometeram esperar até hoje uma resposta da prefeitura para manter a greve suspensa. O atendimento voltou ao normal ontem nos postos de saúde. Eles exigem o pagamento das gratificações, que a Secretaria Municipal de Saúde promete fazer em 60 dias.

Justiça – Os vereadores reagiram com indignação aos boatos de que mais dois podem estar envolvidos no escândalo sexual. Até as mulheres, como Carla Stephanini (PMDB), cobraram celeridade nas investigações para tirar a suspeita que paira sobre os envolvidos.

Sem chance – A proposta dos vereadores Mario Cesar (PMDB), presidente, e Airton Saraiva (DEM), de reduzir o número de vereadores, de 29 para 23, não deve prosperar. A maioria dos parlamentares é contra a medida, que pode reduzir a chance de reeleição dos edis.

Crítica – O deputado estadual Pedro Kemp (PT) não gostou da interferência do Poder Judiciário nos trabalhos do legislativo. Ele citou a liminar contra a CPI da Enersul e o decisão que suspendeu a votação do projeto dos fiscais de renda e agentes tributários.

Sem medo – O presidente da CPI da Enersul, Paulo Corrêa (PR), mudou o ditado popular. Antes, ele dizia que não se devia enfrentar pessoas com saias: padre, juiz e mulher. Agora, recorre a outro ditado para criticar o Judiciário, de que a polícia prende e o juiz manda soltar.

Apelo – O deputado estadual Felipe Orro (PDT) fez um apelo para um acordo entre a Prefeitura de Campo Grande e a Santa Casa. O pedetista destacou o não pagamento de salários dos funcionários do hospital. “Teve muita gente que foi comprar presente das mães e o cartão não passou”, frisou.

Duas medidas – O juiz da Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, David de Oliveira Gomes Filho, tomou duas decisões diferentes sobre o ex-prefeito Alcides Bernal (PP). A primeira foi a liminar que reintegrou Bernal ao cargo em 15 de maio de 2014. A outra foi neste mês, que o tornou réu em ação por improbidade administrativa.

Cassação – O juiz David de Oliveira Gomes Filho vai começar a ouvir os vereadores na ação em que pede a reintegração de Bernal ao cargo de prefeito. Ele deverá ouvir a maioria dos 29 vereadores de Campo Grande. A ação popular pede a anulação da cassação do então prefeito, em 12 de março de 2014.

(colaboraram Leonardo Rocha e Aline dos Santos)

Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...
2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions