ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  10    CAMPO GRANDE 29º

Jogo Aberto

Você faria?

Por | 29/12/2012 07:00

“Você devolveu o seu 13º?”, indagou ontem à repórter do Campo Grande News o deputado Geraldo Resende ao ser perguntado sobre o décimo-quarto salário pago aos parlamentares pela Câmara Federal. O deputado ainda emendou: “Porque eu devolveria?”. A diferença é que o benefício natalino dos trabalhadores está previsto na lei trabalhista, aprovada pelos legisladores, e o salário extra dos parlamentares foi criado por eles em benefício próprio e está sendo questionado. Para um trabalhador “normal”, décimo-quarto costuma ser pago só por empresas que são obrigadas, por lei, a distribuir lucros, .

Mãe Diná
O peemebebista Youssif Domingos tem feito apostas políticas, e acertado, em relação à administração municipal de Campo Grande, da qual fez parte no governo de André Puccinelli. A última aposta que fez é de que Mário César será o novo presidente da Câmara.

Está errado
Presidente da Câmara de Vereadores por quatro anos, Youssif anotou em seu blog na internet que os parlamentares usaram a forma errada para aumentar o salário do prefeito eleito e os próprios vencimentos. Segundo ele, que é advogado, isso deveria ter sido feito por lei e não por decreto legislativo.

Análise
Na avaliação de Youssif, a dificuldade de articulação da base de apoio a Alcides Bernal, e a crise criada pelo próprio prefeito eleito, podem dificultar que ele consiga emplacar um aliado na presidência da Câmara.

Inédito
A situação é complementamente nova na Câmara de Campo Grande, pelo menos nas duas últimas décadas, em que o PMDB governa a cidade. Nas administrações anteriores, o presidente do Legislativo Municipal sempre foi alguém da base aliada do prefeito.

Memória
Durante a administração de André Puccinelli, por exemplo, o atual prefeito, Nelson Trad Filho (PMDB), foi presidente da Câmara. Da presidência da Casa, Nelsinho saiu para a Assembleia Legislativa e depois se elegeu prefeito, sucedendo a André.

Psiu
Depois de mensagens que provocaram a ira de vereadores, nas quais usou até a palavra “repugnantes”, o prefeito eleito deu um tempo nas afirmações. A última postagem no Facebook dele é uma música gospel, do dia 22 de dezembro.

Será?
Mas até isso pode ser interpretado como provocação. Bernal escolheu justamente a canção que tem o refrão “a minha vitória tem sabor de mel”.

Inevitáveis
A “perseguição” dos jornalistas aos vereadores em negociação para definir a presidência da Câmara de Campo Grande teve momentos engraçados. Na quinta-feira, por exemplo, os profissionais acamparam na frente do escritório de Flávio César (PTdoB). De dentro da sala, os vereadores podiam ver os jornalistas, alguns sentados no chão. Ao saírem, não contiveram o riso diante da situação.

Agrado
Ontem, ao fazer plantão durante reunião na casa do vereador Paulo Pedra (PDT), sobre o mesmo assunto, os primeiros jornalistas a chegaram ali foram recebidos com refrigerante e ganharam cadeiras para diminuir o desconforto.