ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SÁBADO  25    CAMPO GRANDE 25º

Arquitetura

Jardinagem que tirou família da fome transformou casa em oásis

Ronaldo e Maria transformaram pedaço da rua de areia em espaço cheio de cor

Por Aletheya Alves | 23/06/2022 06:44
Ronaldo Pereira e Maria José de Almeida com o neto em meio ao jardim que criaram. (Foto: Marcos Maluf)
Ronaldo Pereira e Maria José de Almeida com o neto em meio ao jardim que criaram. (Foto: Marcos Maluf)

Cansados de olhar apenas para areia, Ronaldo Pereira, de 51 anos, e Maria José de Almeida, de 48, resolveram transformar o trecho da rua em que moram num espaço cheio de cores através de plantas e árvores. Se destacando entre as outras casas no fim do Bairro Los Angeles, o espaço do casal foi mais uma conquista através da jardinagem, que também os tirou da fome anos atrás.

Sem asfalto e cheia de casas inacabadas, a Rua Capistrano de Abreu se tornou moradia de Ronaldo e Maria há quase dez anos, mas a transformação só teve início há três. Enquanto a parte interna da residência continua próxima à ideia original, composta por tijolos a mostra, o jardim encanta.

Espaço colorido se destaca na Rua Capistrano de Abreu. (Foto: Marcos Maluf)
Espaço colorido se destaca na Rua Capistrano de Abreu. (Foto: Marcos Maluf)

Responsável pela parte de jardinagem, Ronaldo conta que os “muros” da casa eram apenas cercas de arame e, querendo deixar o verde se espalhar, quis levar pingos de ouro para subir em direção ao céu.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Ainda tem muita coisa para ser feita, ali na cerca, as plantas ainda precisam subir e as árvores de primavera vão ficar mais cheias. Uma já está mais na forma, comecei a deixar ela no formato de cogumelo, conta Ronaldo.

Ao fundo, a árvore primavera está tomando forma. (Foto: Marcos Maluf)
Ao fundo, a árvore primavera está tomando forma. (Foto: Marcos Maluf)

Em conjunto à parte de plantação, o jardineiro também aprendeu a fazer vasos de cimento e aproveitou para incluir tudo o que podia na própria casa. “A gente faz e quis colocar aqui também, junto com as lixeiras que também fazemos. Agora quero colocar mais plantas e fazer um arco na frente, onde o carro entra”.

Orgulhoso das criações, Ronaldo detalha que até a calçada de entrada do carro foi uma ideia sua de deixar o espaço diferente. De acordo com o jardineiro, ele comprou uma forma para cimento na Internet e, depois de modelar, foi só escolher as cores e pintar.

Ideia de Ronaldo é fazer um arco com mais plantas na entrada dos veículos. (Foto: Marcos Maluf)
Ideia de Ronaldo é fazer um arco com mais plantas na entrada dos veículos. (Foto: Marcos Maluf)

Trabalhando com o marido, Maria narra que outros detalhes da casa também são feitos por ela. “Eu costumo fazer a parte de pintura, aqui na calçada e no jardim foi ele, mas temos tucanos e outros bichos de cimento que eu é que pinto. É uma terapia”, detalha Maria.

Além dos bichos, algumas plaquinhas também são obras de Maria. Conforme ela narra, tudo o que faz relacionado às cores tem sido uma terapia de recuperação, isso porque há cinco anos teve um AVC.

"Eu achei que não fosse conseguir voltar a viver normalmente, mas já pintava antes e quis começar de novo. Hoje é uma alegria".

Maria trabalha com a parte de pintura nos artesanatos. (Foto: Marcos Maluf)
Maria trabalha com a parte de pintura nos artesanatos. (Foto: Marcos Maluf)
Trecho do bairro é composto por muitas casas inacabadas. (Foto: Marcos Maluf)
Trecho do bairro é composto por muitas casas inacabadas. (Foto: Marcos Maluf)

Tudo começou por necessidade

No caminho até chegar à casa atual e ao jardim cheio de vida, Ronaldo e Maria contam que só aprenderam a mexer com jardinagem e artesanato por necessidade. “A gente já chegou a quase passar fome. Eu fiquei desempregado, não sabia o que fazer e comecei a trabalhar com essas coisas. Foi isso que tirou a gente daquela vida”, Ronaldo explica.

Garantindo que hoje a vida dos dois continua simples, mas sem faltar nada, Maria destaca que foi através dos serviços aprendidos que conseguiram criar os filhos e ter mais segurança atualmente. “Ronaldo foi cortar grama, fazer jardinagem e eu aprendi sobre artesanato. Depois ele aprendeu a fazer vasos de cimento e hoje a gente atende muita gente”.

Sobre os aprendizados, o jardineiro conta que até a produção de vasos veio como uma tentativa extra. “Eu consegui fazer os moldes em cimento e fui vendendo aos poucos. Hoje a gente faz moldes de animais, lixeira, do que a pessoa pedir a gente tenta”.

Disponíveis para contratação tanto para a jardinagem quanto para o artesanato, Ronaldo e Maria podem ser contatados através do número (67) 99121-2631.

Moldes são feitos em cimento por Ronaldo há anos. (Foto: Marcos Maluf)
Moldes são feitos em cimento por Ronaldo há anos. (Foto: Marcos Maluf)
Até cisnes são produzidos no quintal de casa. (Foto: Marcos Maluf)
Até cisnes são produzidos no quintal de casa. (Foto: Marcos Maluf)
Em meio às plantas, plaquinha de Maria é mais uma alegria no jardim. (Foto: Marcos Maluf)
Em meio às plantas, plaquinha de Maria é mais uma alegria no jardim. (Foto: Marcos Maluf)

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Nos siga no Google Notícias