ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 31º

Comportamento

Campo-grandense nem liga em ser “cringe” em meio à fama de chato

Se você precisa ler essa matéria, então isso já é um indicativo de que você é cringe, segundo a Geração Z

Por Bárbara Cavalcanti | 24/06/2021 06:15
Camila de Freitas Souza, de 22 anos, ficou chocada o termo "cringe". (Foto: Kísie Aionã)
Camila de Freitas Souza, de 22 anos, ficou chocada o termo "cringe". (Foto: Kísie Aionã)

Você sabe o que é “cringe”?  Nas redes sociais, jovens da “Geração Z”, que são adolescentes nascidos a partir de 1995, criaram mais uma gíria nova. Porém, esse termo veio para debochar de comportamentos da geração anterior, os “Millennials”.

A estudante Isabelle Santos, de 12 anos, junto com a mãe, a jornalista Viviane Nunes, explica de uma vez por todas para todos os Millennials leitores do Lado B a gíria significa.

Basicamente, o termo da discórdia, “cringe”, é uma tradução livre do inglês e tem o significado de ser “algo vergonhoso” ou “vergonha alheia”. Na última semana, a gíria viralizou nas redes sociais, gerou polêmicas e muitos memes.

A questão é que, aparentemente para a Geração Z, até beber café é considerado “cringe”. Nas redes circulam listas com itens que incluem pedir litrão no bar, usar calça estilo skinny, beber café, tomar café da manhã, falar em boletos, usar o emoji do “chorinho” para expressar que está rindo, e ser fã da Disney ou de Harry Potter.

Inclusive, até pesquisar gírias na internet é considerado “cringe”, o que significa que você já está passando vergonha entre os jovens, se está lendo essa matéria para entender sobre o assunto.

Com essa gíria nova, muitos Millenials, nascidos entre 1981 e 1995, ficaram em choque ao descobrir que já são considerados ultrapassados. Nas redes sociais, marcas como a loja Aff The Hype, entrou na brincadeira e fez um vídeo em que a “Moça do Marketing”, personagem criada pela loja e que já é uma das atrações mais queridas pelos seguidores, cai no choro ao descobrir que não é mais jovem, mesmo sendo fã de K-pop e repartindo o cabelo no meio, o que teoricamente são comportamentos típicos da nova geração.

"Num dia eu sou jovem, no outro eu estou pesquisando o que é cringe", é o título do vídeo do Aff The Hype. (Foto: Reprodução Redes Sociais)
"Num dia eu sou jovem, no outro eu estou pesquisando o que é cringe", é o título do vídeo do Aff The Hype. (Foto: Reprodução Redes Sociais)

Outro que também entrou na briga foi o humorista Esse Menino. Recentemente, seu vídeo sobre os e-mails da Pfizer ao Governo Brasileiro viralizou nas rede sociais. Porém, em uma das listas de comportamentos ultrapassados, “rir demais do vídeo da Pfizer” já é classificado como “cringe” pelos adolescentes.

FIca a reflexão do humorista Esse Menino. (Foto: Reprodução Redes Sociais)
FIca a reflexão do humorista Esse Menino. (Foto: Reprodução Redes Sociais)

Ele não é o único que debocha de volta da Geração Z. Millennials também criaram listas de comportamentos que acham vergonhoso dos jovens de hoje, o que inclui as famosas dancinhas do TikTok e, obviamente, a cafonisse do próprio termo “cringe”.

E justiça foi feita nas ruas de Campo Grande e foi a vez do Lado B, com a jornalista que aqui escreve sendo Millennial, que precisou explicar a novidade para a Geração Z na vida fora das redes sociais. O campo-grandense, que já tem fama de chato por aí, é um bom candidato para ser "cringe".

A cabeleira Ligia Eduarda de Oliveira Lencinha, de 23 anos, nunca tinha ouvido falar. “Eu uso só ‘vergonha alheia’ mesmo, se quero falar que alguma coisa é vergonhosa. E eu sou muito desligada das redes sociais também”, diz.

Ligia descobriu com o Lado B o que é cringe. (Foto: Kísie Aionã)
Ligia descobriu com o Lado B o que é cringe. (Foto: Kísie Aionã)

A vendedora Camila de Freitas Souza, de 22 anos, também ficou em choque. “Eu não acredito que eles acabaram com a expressão “vergonha” e com o “mico”. Eu tenho um sobrinho pequeno e é assim que ele vai crescer”, expressou.

Até a estudante Pâmela Ribeiro de 18 anos, nascida no auge da Geração Z e que deveria estar por dentro da novidade, precisou receber a notícia pelo Lado B. “Realmente, eu nunca tinha ouvido falar”, confessa.

Pamela de 18 anos, também foi ensinada sobre o termo pelo Lado B. (Foto: Kísie Aionã)
Pamela de 18 anos, também foi ensinada sobre o termo pelo Lado B. (Foto: Kísie Aionã)

Outro que descobriu sobre o termo, foi o professor Moisés Barros, que dá aula para alunos de ensino médio, com idades entre 14 e 15 anos. “Eles já tinham me falado, mas eu não sabia. Perguntei pra eles e me explicaram: ‘Professor, o senhor é o maior exemplo do que é ser cringe’. Eu achei um barato”, riu.

O Lado B fez um resumo do que está circulando nas redes sociais, para você tirar a dúvida.

Quantos comportamentos da lista abaixo se aplicam a você e revelam o quão “cringe” você é?

  • Assistiu “A Usurpadora”
  • É fã do Sandy & Júnior
  • Pesquisa gírias na internet
  • Usa o emoji do “chorinho” para expressar que está rindo muito
  • Fala em boleto
  • Toma café da manhã
  • Pede litrão no bar
  • Ama café
  • É fã da Disney e da série americana Friends
  • Usa calça estilo skinny
  • Usa o cabelo repartido de lado
  • Usa “rs” pra rir
  • Gosta do estilo minimalista
  • Não conhece ou gosta das dancinhas do Tik Tok

Curta o Lado B no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário