A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 23 de Setembro de 2018

28/06/2017 06:15

Com 29 anos de diferença, Valquíria e Edir venceram tabu e se casaram em um bar

O local foi escolhido por conta da história do casal, que sempre envolveu as casas noturnas da cidade

Eduardo Fregatto
O casal se emocionou durante a cerimônia, feita no bar. (Fotos: Luciana Raposo)O casal se emocionou durante a cerimônia, feita no bar. (Fotos: Luciana Raposo)

A história de amor entre Valquíria e Edir começou em um bar de Campo Grande. Entre idas e vindas, desentendimentos e reconciliações, os encontros e desencontros do casal sempre tinham algum bar da cidade como cenário principal. No final das contas, quando tudo se acertou, eles não tiveram dúvidas: se casaram dentro de um bar, com direito à decoração temática, cervejinha, música ao vivo e muitos amigos presentes.

Esta história que o Lado B conta hoje começou há cerca de 4 anos. Edir Valu, de 65 anos, é um músico que apresenta samba e MPB em casas noturnas da cidade. Valquíria Coeme dos Passos Valu é 29 anos mais nova que o marido. Ela tem 36 anos, e trabalhava como garçonete quando os dois se conheceram, no Bar da Madá.

Valquíria usou vestido de noiva e teve até tapete vermelho.Valquíria usou vestido de noiva e teve até tapete vermelho.

“Eu trabalhava lá e ele se apresentava. Ficava me encarando, me olhando, e as pessoas falavam que ele gostava de mim”, lembra Valquíria. “Até que um dia eu estava de folga, tomando uma cervejinha lá mesmo, e ele pediu para sentar comigo”.

Logo os dois estavam namorado, um relacionamento que durou 4 meses. “Nós somos muito diferentes. A Valquíria é mais forte, crua, e eu sou muito mais sentimento” diz Edir, explicando porque o namoro não deu certo de primeira. Eles se separaram e se afastaram. “Por ele ser artista, tinha muita mulherada em cima, e eu sou ciumenta”, justifica Valquíria.

O casal tentou ficar longe um do outro, mas se esbarravam em bares da cidade. “Eu sempre gostei muito de ir em bar, no final da semana, comer, beber uma cerveja, conversar com os amigos”, afirma Valquíria. Cada um começou um novo relacionamento, mas a cada encontro nos bares da cidade, rolavam ciúmes. “Eu via ele com outra e ia embora, chateada, e ele a mesma coisa”.

O bar decorado para receber o casamento.O bar decorado para receber o casamento.

Em um dos aniversários de Valquíria, comemorado em um barzinho da Capital, ela finalmente aceitou voltar a conversar com Edir. Ele se declarou, disse que “não conseguia esquecer” dela, e em dois meses já estavam morando juntos e planejando o casamento.

Edir é divorciado, e não poderia se casar na igreja. “Mas achamos que o nosso ambiente acabou sendo até melhor que a igreja. A benção de Deus pode ser dada em qualquer lugar, você só tem que querer recebe-lá”, define.

O casamento foi no Palhoça's Bar, um dos bares em que os dois tiveram vários encontros e momentos marcantes do relacionamento. “Foi um bar bem presente na nossa vida, onde a gente se encontrou várias vezes. E ninguém faz casamento em bar, é algo diferenciado. Todo mundo adorou, teve toda uma decoração, bolo de casamento, tapete vermelho” descreve Valquíria.

A celebração foi em maio e os recém-casados vivem felizes, ainda frequentando os bares da cidade, mas agora juntos.

Idade – A diferença de idade entre o casal causou desconforto entre amigos e familiares de Valquíria. “Diziam que eu iria me arrepender, por ele ser muito mais velho, que ele iria morrer antes de mim”, conta. “Eu nunca me importei com nada disso. Acho que, para o amor, não existe idade”.

Decoração feita com garrafas de vidroDecoração feita com garrafas de vidro
Mais detalhes da decoração da festa.Mais detalhes da decoração da festa.

Edir também diz que nunca nem se considerou uma pessoa velha. “Não me vejo como velho, tem gente que abraça isso, de ser velho, eu nunca fui assim. Me visto normal, ajo normalmente”, avalia. A família de Edir, por outro lado, achou a relação interessante. "Tenho uma filha mais velha que a Valquíria, inclusive, e ela entrou comigo até o altar", diz, orgulhoso.

Apaixonados, o casal não se deixa abalar por preconceitos, e lembram com carinho das músicas que marcaram o relacionamento. “'Senhorita', do Zé Geraldo, é uma canção que sempre cantei pensando nela. É quase um pedido de casamento, até hoje quando eu canto, ela sabe que é para ela”, finaliza Edir.

Curta o Lado B no Facebook.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.