ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  15    CAMPO GRANDE 25º

Comportamento

Com sonho de correr e ser jogador, Fábio precisa de ajuda para andar

Ele nasceu com paralisia cerebral, mas sempre quis ter independência e por isso sua mãe Roseli faz vaquinha para ajudar o filho

Por Alana Portela | 29/07/2020 06:52
Na cadeira de rodas, Fábio é um menino de 10 anos que sonha com independência. (Foto: Arquivo pessoal)
Na cadeira de rodas, Fábio é um menino de 10 anos que sonha com independência. (Foto: Arquivo pessoal)

Para ajudar o Fábio a conquistar a independência, a mãe Roseli Cagnin Garcia está realizando uma vaquinha on-line na tentativa de conseguir R$ 23.520,00 para comprar o andador especial “Grillo Gait Trainer Posterior” e assim incentivá-lo a andar.  O equipamento é suporte para que o filho possa sentir o gostinho da liberdade e acreditar nos seus sonhos.

“Eu quero andar dentro de casa e jogar futebol”, diz Fábio. Ele tem apenas 10 anos, nasceu com paralisia cerebral, o que afetou sua parte cognitiva e motora, fazendo-o necessitar de uma cadeira de rodas. No entanto, uma luz no fim do túnel se acendeu ao descobrir que com um andador especial, o garotinho pode ter a chance de andar.

A notícia encheu o coração da família e esperança, ainda mais de Fábio que é apaixonado por futebol e deseja mais que tudo ter a oportunidade de se locomover sozinho e quem sabe, correr atrás da bola pelo quintal da casa.

“Conseguir o andador seria como uma libertação, pois ele vai saber que pode se locomover”, diz a mãe. Aos 49 anos, Roseli é treinadora de neurofeedback, um tipo de terapia que atua com treinamento e desenvolvimento do cérebro. A profissão foi escolhida por conta do filho.

Fábio no colo da mãe, Roseli Cagnin Garcia. (Foto: Arquivo pessoal)
Fábio no colo da mãe, Roseli Cagnin Garcia. (Foto: Arquivo pessoal)

“O Fábio nasceu prematuro de seis meses, quando minha bolsa estourou. Na época, morava em Rio Verde e até chegar na Capital, demorou. Ele pegou uma infecção, teve de ficar 45 dias no hospital, um mês apenas na UTI [Unidade de Tratamento Intensivo]. Teve uma lesão no cérebro, que afetou a parte motora dele”, explica.

Antes de tudo acontecer, Roseli tinha realizado uma cirurgia por conta da endometriose. “Não podia engravidar, mas depois do procedimento fiquei grávida. Foi uma alegria porque queria muito ter um filho”, recorda.

A mãe fez o acompanhamento médico, porém Fábio nasceu antes do tempo, o que também acarretou alguns problemas respiratórios. “Vivíamos em hospital, fisioterapia e sempre foi essa luta constante”.

Um ano e meio após o nascimento do filho, Roseli descobriu que além do desenvolvimento motor, a parte cognitiva também tinha sido afetada. “Uma médica falou sem querer e entrei em choque porque ninguém tinha falado isso antes”.

Fábio durante a sessão de fisioterapia. (Foto: Arquivo pessoal)
Fábio durante a sessão de fisioterapia. (Foto: Arquivo pessoal)

A descoberta também fez iniciar o tratamento do filho para que tivesse uma melhor qualidade de vida. “Realizava o acompanhamento em Rio Verde, mas há três anos nos mudamos para Campo Grande, onde o tratamento é um pouco mais intenso e tem ajudado a apresentar uma melhora”.

Antes da pandemia do coronavírus, a rotina do pequeno Fábio era estudar no período da manhã, ir para às clínicas durante a tarde, e à noite ficar com a família. Agora, se dedica à fisioterapia e aos filmes e jogos de futebol na televisão.

Fábio treinando no andador da clínica de fisioterapia. (Foto: Arquivo pessoal)
Fábio treinando no andador da clínica de fisioterapia. (Foto: Arquivo pessoal)

“Ele sempre precisa da gente pra tudo. No entanto, com esse tipo de andador, Fábio conseguirá se movimentar sozinho. É como se fosse uma marcha para andar. A gente luta e faz de tudo por ele, e se puder se mover dentro de casa já é uma vitória. Nada é impossível”, destaca a mãe.

O andador tem rodinhas e é próprio para ajudar a desenvolver os movimentos. Conta com suporte para braços, quadril, apoio para lombar e peito, assento e até barra de apoio de mãos ergonômica. É um aparelho que permitirá Fábio a conquistar a independência.

“Tenho um vídeo dele usando o andador na clínica, foi a maior emoção. É uma esperança de que ele vai vencer e ficou tão feliz”, diz a mãe esperançosa. E foi pensando justamente no bem-estar de Fábio que Roseli criou a vaquinha on-line”, com a ajuda da amiga Lidiane Lorenzoni.

“O valor do andador R$ 23.120,00, mas tem o frete que é mais R$ 400,00”, comenta. A soma dos valores R$ 23.520,00. Até o momento, a família conseguiu pouco mais de R$ 13 mil. Para ajudar na arrecadação basta clicar neste link.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.