ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  04    CAMPO GRANDE 21º

Comportamento

Empresária coloca macas no quintal e Aero Rancho vira ponto de bronzeamento

Por Anny Malagolini | 25/11/2013 06:30
Quintal com a mulherada pronta para a cor.
Quintal com a mulherada pronta para a cor.

A promessa é de um bronzeamento natural, com marcas perfeitas e até “tatuagens”. O bronzamento artificial já era. Agora a cor vem com a luz do sol, mas ao invés de usar biquíni, as roupas de banho são feitas com esparadrapo. Mas o inusitado mesmo é o ambiente, em pleno quintal na periferia de Campo Grande.

A clínica “Viva Bronze” na rua Jorge Paulo Bastos Lima, 109, no bairro Aero Rancho, é apenas uma das que oferecem esse tipo de serviço na cidade. Filtro solar passa longe, mas segundo a proprietária Luciana Faria, de 41 anos, a técnica é utilizada há seis anos "sem risco de queimadura". 

Ela é super conhecida na região pelo bronzeamento coletivo. As mulheres ficam em macas, com o rosto protegido do sol e besuntadas com um produto vendido em casas de estética. "Funciona como um acelerador, ou seja, é um bronzeador", explica.

O lugar é concorrido, por dia são atendidas até 30 clientes. Se alguém chegasse de surpresa, sem saber de nada, com certeza se espantaria com a cena da mulherada espalhada pelo quintal. Mas o ambiente é totalmente feminino.

A cliente poderia até fazer o mesmo em casa, mas Luciana jura que existe diferença graças a experiência. “Com esparadrapo ele marca certo, o biquíni não para no lugar e a marca não fica tão evidente”.

Cada sessão custa R$ 60,00 e dura uma hora e vinte minutos. O resultado depende de cada pele. Mas Luciana afirma que já no primeiro dia é possível sair com alguma “marquinha”.

Para não agredir a pele e evitar queimaduras, Luciana também explica que a exposição ao sol é feita nos horários recomendados pelos especialistas, das 7 às 10 horas e das 16 às 18 horas.

O sistema parece bem peculiar. No lugar daquelas maquinas, onde a mulher entra e pronto, no quintal da clínica do Aero Rancho a cena lembra as tardes com as amigas. Há funcionárias que durante a sessão, a cada 5 minutos, passam borrifando água sobre as clientes para hidratar pele.

A assistente social Marcela Sol, de 23 anos, morava no Rio de Janeiro, e de volta à capital, o bronze fez falta. “Eu ainda moro em apartamento e sou muito branca e gosto de parecer "coradinha"”, explica.

Quem tem medo da prática, a proprietária defende: “Se criou uma lenda de que o bronzemanento é perigoso, mas é o risco que alguém vai para a praia tomar sol”.

Para "sensualizar" algumas fazem até tatuagens com o bronze. É escolhido um adesivo, com diferentes desenhos, como estrelas, pimenta e até o coelhinho da Playboy. Aí, é só colar na parte do corpo desejada e esperar ficar marca branquinha. Cada tatuagem custa R$ 5,00.

A dermatologista Ana Paula Azuaga recomenda mesmo o uso de filtro solar, mas para quem não abre mão do bronzeamento, ela adverte que o processo deve ser feito de maneira gradual e sempre com proteção, já que nos primeiros dias o sol pode irritar a pele.

O conselho é ter paciência, com poucos minutos ao dia. A médica ensina que a ação dos raios no estímulo da melanina só ocorre 48 horas depois da primeira exposição. “É preciso ter cuidado e não exagerar. É preciso se proteger do câncer de pele”, alerta.

Quem quer sensualizar, ainda aplica adesivo, como do coelhinho mais famoso do mundo.
Quem quer sensualizar, ainda aplica adesivo, como do coelhinho mais famoso do mundo.
Nos siga no Google Notícias