ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 24º

Comportamento

Encontrar formas de ajudar os outros tem sido a ‘salvação’ de Cris

Diagnosticada com depressão, a cabeleireira iniciou projeto para arrecadar doações para comunidades carentes

Por Aletheya Alves | 29/11/2023 07:02
Roupas estão entre as doações arrecadadas por Cristina. (Foto: Arquivo pessoal)
Roupas estão entre as doações arrecadadas por Cristina. (Foto: Arquivo pessoal)

Durante a pandemia, a cabeleireira Cristina dos Santos desenvolveu um quadro depressivo e, dois anos depois, foi surpreendida ao entender que, além do auxílio médico e psicológico, ajudar outras pessoas se tornou parte essencial da recuperação. Hoje, ela tem desenvolvido um projeto coletivo para arrecadar doações destinadas a comunidades carentes.

“Muitas vezes, são tanto as pessoas que precisam de você quanto você também precisa delas. Ir lá, dar e receber um abraço, conversar, isso faz tanta diferença”, introduz Cris. Mas, antes de chegar ao cenário atual, ela conta que tudo começou com a pandemia de covid-19.

Após ter sido infectada pelo vírus, a cabeleireira não conseguiu se recuperar totalmente e uma série de diagnósticos foi feita. “Eu não conseguia mais comer direito porque sempre que me alimentava, alguns minutos depois, acabava vomitando. Imaginei várias coisas e fui tentando levar porque sou mãe, tenho que trabalhar, mas uma cliente me alertou que realmente precisava procurar um médico”.

Com exames em mãos, o diagnóstico foi de uma úlcera no estômago e, a partir desse momento, toda a sua rotina foi modificada mais uma vez. De acordo com Cris, a alimentação foi totalmente alterada e os cuidados excessivos aumentaram as crises depressivas que ainda não tinham sido diagnosticadas.

O problema no estômago foi resolvido, mas novos sintomas começaram a aparecer. “Várias manchas vermelhas apareceram na minha pele e eu não sabia mais o que fazer, tinha que ficar dentro de água com gelo. Não conseguia nem dormir de tanta dor”.

Dificuldades causadas por depressão têm sido reduzidas com boas ações. (Foto: Juliano Almeida)
Dificuldades causadas por depressão têm sido reduzidas com boas ações. (Foto: Juliano Almeida)

Novamente em busca de diagnósticos, a informação, conforme ela narra, foi de que havia contraído duas bactérias contagiosas. Remédios foram prescritos, mas outros sintomas apareceram e, durante outra consulta, descobriu que seu quadro era depressivo.

“Minha doutora disse que estava estranho e que as manchas vermelhas provavelmente eram causadas pela depressão. Então, foi um período muito difícil, eu não tinha vontade de fazer nada, meu rosto estava horrível, envelheci muito”, diz a cabeleireira.

Após mudar o tratamento, outro momento de sua vida chegou e a motivação foi religiosa. Cris conta que após receber sinais divinos de que deveria ajudar outras pessoas, passou a investir nisso.

E, focando nessa nova meta, acabou descobrindo que essa ajuda também seria positiva para si mesma. “Me colocaram em um grupo de doações e desde então consegui para várias comunidades. A gente começou no Mandela, mas já fomos em outras com roupa e comida”.

Hoje, seu foco é arrecadar alimentos e conseguir fazer festas de Natal para as crianças. “Desde que comecei, não precisei mais de remédios para dormir. Continuo com os da ansiedade, mas melhorei demais. As pessoas precisam muito dessa ajuda e descobri que também precisava”.

Para quem quiser saber mais informações sobre as festas a serem realizadas, o contato de Cris é (67) 99210-8898.

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias