ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  26    CAMPO GRANDE 28º

Comportamento

Enfermeira troca pacientes por hóspedes caninos ao virar babá de cachorro

Por Paula Maciulevicius | 06/12/2013 06:35
A casa dela recebe hóspedes de segunda a segunda que tem até piscina no quintal. (Fotos: João Garrigó)
A casa dela recebe hóspedes de segunda a segunda que tem até piscina no quintal. (Fotos: João Garrigó)

Ela busca, traz para casa, dá comida, banho, cama e diversão. Aos 33 anos, a enfermeira obstétrica Denise da Silva Ferreira largou a profissão para viver da paixão que tem pelos bichos e hoje é babá de cachorro, em Campo Grande.

A casa dela recebe hóspedes de segunda a segunda e na cartela de clientes, tem cães fixos, para quem presta assistência em casa, de acordo com a necessidade dos donos. Denise encerra a semana com três cães, duas fêmeas da raça yorkshire que voltam para a casa só na sexta e mais um poodle que está há seis meses, desde que a dona se mudou para a Espanha.

Pela diária, de R$ 30 para as cadelas e R$ 35, para os machos, eles recebem todo cuidado que o dono teria, garante Denise. “Ser babá é cuidar como se fosse seu. E eu pego amor, faço carinho, tem os que dormem comigo”, conta.

Os donos precisam deixar os pets com ração, vacina em dia, sem pulga e nem carrapato e de preferência, limpinhos, ou então com a autorização para que a babá dê o banho. “Eles fazem aqui o que fazem em casa, quando eu conto para o dono, eles sempre falam isso, coisa que no hotel, eles não vão fazer”, comenta.

Quarto é coletivo e tem oito casinhas de madeira.
Quarto é coletivo e tem oito casinhas de madeira.
Babá diz que cada um escolhe onde vai dormir.
Babá diz que cada um escolhe onde vai dormir.

A rotina da babá é definida pelos hóspedes de quatro patas. A capacidade da casa é para uma média de oito animais de até 12 quilos. No sobrado onde mora e trabalha, a parte debaixo é toda deles. O quintal parece pronto para uma criança, com bolinhas e brinquedos pelo chão e até uma piscina para que eles se refresquem.

“Eu ia fazer uma piscina de bolinhas também, mas um dos hóspedes comeu a borda”, conta Denise aos risos.

Dentro, são dois ambientes. Um que acomoda o tanque do banho, puffs que viram brincadeira nas patinhas deles e a dispensa com as rações. O quarto é coletivo e as camas se resumem a oito casinhas de madeira. No entanto, ela frisa que cada um escolhe onde dormir.

“Tem os que dormem na casinha, aqui e também lá fora. Tem uma que quando fica aqui só dorme debaixo da escada. É o lugar dela”, descreve.

Os cães ficam o tempo brincando. O mais velho hóspede, Bumer, adora brincar e não nega pose para as fotos. Basicamente eles fazem a rotina dela. “O Luke é o mais carente. Acorda 5h da manhã e começa a latir e eu venho e solto. Dou comida de manhã e de tarde e eles ficam aqui me acompanhando. Se eu vou lavar louça, eles vão junto”, narra.

Fora o serviço de hotel, ela também é babá na própria casa deles. Um dos canis tem 14 cães que são visitados por ela três vezes ao dia, com exceção da sexta-feira, quando Denise pega folga. Cada visita sai no preço de R$ 20.

A ideia de virar babá de cachorro começou pela paixão para com os animais e o desinteresse pela área profissional. Em São Paulo começou a estudar Medicina Veterinária, mas foi em Londrina que surgiram os primeiros trabalhos com os bichos.

Denise foi dog walker, denominação de quem apenas faz os passeios, e também táxi dog, ao levar para o veterinário, buscar na tosa e até fazer o transporte funeral. “Uma vez levei um cachorrinho para a clínica, porque não podia ser enterrado em qualquer lugar”.

A expectativa é de que no final do ano a procura aumente até por conta das festas, já que o trabalho é a solução para quem viaja e não tem com quem deixar. “Eu olho tudo, se aparece qualquer coisinha, sou eu quem avisa”, diz.

Quem quiser contratar a babá de cachorro, pode ligar nos telefones 9191-1492 e 9956-9936. A propaganda ela faz de latido em latido e no próprio carro, um Ford Ka prata cheio de patinhas.

Os cães ficam o tempo brincando. O mais velho hóspede, Bumer, adora brincar e não nega pose para as fotos.
Os cães ficam o tempo brincando. O mais velho hóspede, Bumer, adora brincar e não nega pose para as fotos.
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário