ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, TERÇA  13    CAMPO GRANDE 23º

Comportamento

Família viraliza ao ficar careca em apoio à irmã com doença autoimune

Em 24 horas, vídeo que mostra irmãs gêmeas ficando carecas teve mais de 116 mil visualizações; Confira

Por Thailla Torres | 06/04/2021 06:03
Fernanda e Amanda registraram tudo após ficarem carecas. (Foto: Fernanda Lima/Arquivo Pessoal)
Fernanda e Amanda registraram tudo após ficarem carecas. (Foto: Fernanda Lima/Arquivo Pessoal)

Há pouquíssimas semanas, se alguém chegasse à empresária Fernanda da Costa Souza Lima, de 30 anos, e dissesse que ela teria que ficar careca seria surpreendido com um "não". Mas um gesto emocionante de sua família fez ela se despir de toda vaidade e aparência para enfrentar a careca, tudo por causa de uma doença que a fez perder o cabelo.

Marido e irmã gêmea também rasparam a cabeça em solidariedade a Fernanda, com objetivo, segundo eles, de levarem uma mensagem de fé e esperança às pessoas que passam pelo mesmo problema e ficam sem os cabelos.

O vídeo com pouco mais de 8 minutos publicado ontem nas redes sociais já tem mais 116 mil visualizações. Nas imagens elas aparecem raspando a cabeça e falando sobre fé.

Fernanda segurando a mão da irmã Amanda antes de ficarem carecas. (Foto: Fernanda Lima/Arquivo Pessoal)
Fernanda segurando a mão da irmã Amanda antes de ficarem carecas. (Foto: Fernanda Lima/Arquivo Pessoal)

Para Fernanda, um momento inesquecível, já que a doença a pegou de surpresa nos últimos anos. “Foi extremamente difícil o processo da perda do cabelo, eu jamais imaginaria perder o cabelo até poucas semanas atrás. Então tive que buscar meios de cuidar das minhas emoções, porque eu sabia que poderia perder todo o cabelo. No entanto, diante da minha fé eu decidi me levantar e pisar na minha vaidade, no meu orgulho, para me sentir bem e ajudar outras pessoas”

Ter o marido Rodrigo Lima e a irmã gêmea Amanda Secco neste momento também foi importante. “Foi algo muito marcante e que mudou nossa história. Não esperava esse gesto, até porque eu não queria que eles fizessem isso, fiquei com receio deles perderem o cabelo porque eu sei o quanto eles também amam”, diz.

Fernanda recebeu o diagnóstico de alopecia há três anos. Os primeiros sintomas foram percebidos quando ela arrumava o cabelo. “Percebi duas falhas atrás da orelha e percebi que não era normal. Fui em alguns médicos que diagnosticaram a alopecia”, explica sobre a doença que leva a queda do cabelo e pelos pelo corpo.

“É uma doença emocional, qualquer tipo de tristeza ou ansiedade que eu sofra isso me faz perder os cabelos”, acrescenta.

Rodrigo também ficou careca ao lado da esposa e da cunhada. (Foto: Fernanda Lima/Arquivo Pessoal)
Rodrigo também ficou careca ao lado da esposa e da cunhada. (Foto: Fernanda Lima/Arquivo Pessoal)

Quando veio o diagnóstico, Fernanda precisou passar por um doloroso processo de aceitação. “Era uma doença totalmente desconhecida pra mim. Fiquei muito assustada quando vi as primeiras quedas e isso mexeu muito com a minha autoestima porque eu sempre amei muito o meu cabelo”.

Mas hoje, abrir mão do cabelo é uma chance para Fernanda ajudar outras pessoas, acredita, “A gente abriu mão da aparência para ajudar outras pessoas. A mensagem que eu quero passar é que o cabelo não nos define, não dita o padrão de beleza, a nossa singularidade. Então eu desejo muita força, luz e fé a pessoas que passam pela mesma situação que eu”, finaliza.

Para a irmã, que também se despiu da vaidade e do cabelo que tanto gostava, foi um momento de se colocar no lugar do outro. “Foi um momento de me colocar no lugar dela e ao mesmo tempo fazer com que ela se sentisse bem, por me ver igual a ela. Todas as mulheres que nos cercam têm cabelos lindos e longos, e tudo o que eu queria era que ela visse que ela não seria a única diferente, eu estaria ali com ela pra passar por essa nova fase”.

Assista o vídeo aqui. 

Curta o Lado B no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário