ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 28º

Comportamento

Para ser mãe, companheirismo de cliente faz toda diferença

Precisando retornar ao trabalho apenas um mês após o segundo filho nascer, Fany foi registrada por cliente

Por Aletheya Alves | 25/11/2023 08:11
Fany foi registrada trabalhando enquanto amamenta o filho mais novo. (Foto: Arquivo pessoal)
Fany foi registrada trabalhando enquanto amamenta o filho mais novo. (Foto: Arquivo pessoal)

Sete dias após Joaquim nascer, Stephany Figueira Caldas precisou voltar ao serviço e, repetindo a necessidade, o retorno veio um mês após Anthony chegar. Fotografada no estúdio em que trabalha, o registro de Fany mostra como é necessário até o companheirismo de clientes para conseguir ser mãe.

“Eu nunca romantizei maternidade e gestação porque são fases muito difíceis para a mulher e, falando como autônoma, eu dependo totalmente do meu trabalho. Não tenho opção”, resume a profissional que trabalha no ramo da estética.

Especializada em cílios, design de sobrancelhas e maquiagem, seu trabalho é diário e, como ela narra, não pode parar. Mãe de três filhos, ela explica que seu cotidiano atual é uma repetição de algo que já ocorreu três anos atrás.

Hoje, dois filhos vão para a escola, enquanto o de apenas um mês é quem acompanha a profissional no serviço. “É muito difícil tanto deixar em casa com alguém quanto levar o filho para dentro do trabalho”.

Assim como foi com Joaquim, o mais velho, Anthony tem sido abraçado pelas clientes. E é justamente esse companheirismo que tem mantido o serviço possível.

Minhas clientes são super solícitas, elas entendem a situação pela qual estou passando do pós-parto e de necessidade em vir para o estúdio. Mais do que compreender, elas ajudam, detalha Fany.

Na prática, além de entender que os atendimentos serão feitos com o bebê ao lado, ela conta que recebe ajuda de quem chega por ali. “Enquanto estou atendendo uma, outras ajudam a ninar, algumas brincam, ficam com ele no colo”.

Dessa forma, a rotina se torna possível tanto para as clientes quanto para a profissional. “Quem vem pela primeira vez ao estúdio é avisada que estou com bebê aqui e que posso parar para amamentar”, diz.

Para ela, apesar das dificuldades, o companheirismo se tornou mais uma forma de incentivo coletivo. Algo que reforça as possibilidades de seguir trabalhando com um pouco de leveza.

“Essa compreensão e parceria ajuda bastante nessa fase que é a mais complicada. As clientes são super companheiras, conhecem minha história por trás da maternidade e compreendem cada fase da minha vida. A gente batalha mesmo para ter um nome e batalha para conseguir manter”, completa.

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias