A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 15 de Outubro de 2019

19/07/2019 09:36

Tetraplégica e cega, Cleonir se diverte conhecendo pessoas pelo celular

Ela passa horas conversando com estranhos e virou inspiração para muita gente

Alana Portela
Cleonir Ferreira Martins gosta de falar no telefone (Foto: Arquivo pessoal)Cleonir Ferreira Martins gosta de falar no telefone (Foto: Arquivo pessoal)

Limitada a uma cadeira de rodas há 30 anos, Cleonir Ferreira Martins é o tipo de gente sem "tempo ruim". Comunicativa, tem o telefone como parceiro inseparável. Aos 62 anos, enfrenta a “espodelite aquilosante”, doença inflamatória crônica que afeta as articulações, mas o problema não a abala e com alegria ela conversa com as pessoas do outro lado da linha e com energia tão positiva que não dá vontade de desligar a ligação.

“Sou muito comunicativa. Tenho uma família grande, e sempre ligo para alguém para desejar bom dia ou boa tarde, para ver como a pessoa está e se precisa de algo. Participo de tudo, e como tenho limitações resolvo as coisas por telefone. Já fiquei mais de uma hora em ligação”, contou.

Com a ajuda da identificação por voz, Cleonir consegue achar o contato para ligar  (Foto: Paulo Francis)Com a ajuda da identificação por voz, Cleonir consegue achar o contato para ligar (Foto: Paulo Francis)

Ela é o tipo de pessoa que levanta o astral de qualquer um, e não se aflige com as dificuldades que surgem no caminho.

O problema de saúde foi descoberto ainda quando estava grávida da filha, Dheine Martins. Fez tratamento médico para se curar, porém sem sucesso. A doença, terrível, se agravou com o tempo e aos poucos Cleonir perdeu os movimentos do corpo. No entanto, os braços ainda se movem levemente.

A vida mudou da água para o vinho, porém o problema de saúde não é um empecilho. Atualmente, passa a maior parte do tempo na cadeira de rodas e na cama, mas quando pega o celular se sente livre e até faz crochê. “Com as técnicas, faço touca, cachecol. Não quero pensar que não posso conseguir”.

Dheine Martins ao lado da mãe, Cleonir (Foto: Paulo Francis)Dheine Martins ao lado da mãe, Cleonir (Foto: Paulo Francis)
Cleonir é alegre e gosta de sorrir sem deixar o celular (Foto: Arquivo pessoal)Cleonir é alegre e gosta de sorrir sem deixar o celular (Foto: Arquivo pessoal)
Apesar de não enxergar, Cleonir ainda faz crochê (Foto: Paulo Francis)Apesar de não enxergar, Cleonir ainda faz crochê (Foto: Paulo Francis)

Em fevereiro deste ano, Cleonir perdeu a visão e mesmo assim não se permite parar. “Não estou enxergando, mas isso não vai me fazer parar. A ligação é o momento de me libertar, por isso não quero ficar sem falar. No meu celular tem aplicativo de voz e vou fazer um exame para poder entrar no Ismac [Instituto Sul-mato-grossense para Cegos Florivaldo Vargas], quero aprender a comunicação por lá”, disse toda animada.

Projeto - Dheine acompanha o drama da mãe e com intuito de mantê-la na ativa criou o projeto “Amigos da Dheine”. Para a realização das ações sociais, Cleonir é quem liga para parceiros e pessoas carentes para falar sobre o trabalho do grupo.

“Conversa muito com as pessoas, é uma forma de terapia. Ela quer ter uma ocupação, ajudar os outros, e combinamos dela falar no celular”, contou Dheine. Foi a partir deste momento que a filha entendeu o recado. “Foi despertando a questão de querer ajudar os outros e veio a ideia de doar ovos de Páscoa para pessoas carentes. Entregamos mais de 400” recordou. A ação iniciou em abril de 2019, e fez a organizadora entender que os gestos simples também podem mudar a vida de alguém.

O “Amigos da Dheine” é um grupo que se reúne para fazer o bem, seja com uma conversa ou uma visita simples, interatividade com as crianças carentes, doações de roupas, cestas básicas, etc. "Tivemos o caso de um senhor que uma colaboradora anônima entrou em contato conosco, pois já conhecia o nosso trabalho e solicitou que realizássemos a entrega da cesta de alimentos a ele. Foi gratificante sermos mediadores desses atos de bondade".

Nos últimos meses, a equipe realizou três campanhas do agasalho, sempre contando com o apoio da inspiradora do projeto, Cleonir. “Isso é um prazer. Se eu pudesse faria muita coisa. Não podemos ajudar a todos, mas tentamos. Um pouquinho já faz diferença. Temos que ter atitude, fé e iniciativa”, afirmou a mãe de Dheine.

Dheine conta com a ajuda da mãe Cleonir para fazer as ligações e realizar o projeto Amigos da Dheine(Foto: Paulo Francis)Dheine conta com a ajuda da mãe Cleonir para fazer as ligações e realizar o projeto "Amigos da Dheine"(Foto: Paulo Francis)
Saquinho de doces doados também é doado (Foto: Arquivo pessoal)Saquinho de doces doados também é doado (Foto: Arquivo pessoal)
As arrecadações de roupas e sapatos para doações (Foto: Aquivo pessoal)As arrecadações de roupas e sapatos para doações (Foto: Aquivo pessoal)

Terapia - A ligação entre mãe e filha é a prova de que por amor, vale tudo. “Minha mãe é muito contente e agora em toda ação ela participa. Fica nos bastidores da organização. Contudo, não vai nos eventos porque é difícil para locomoção”, explicou Dheine.

Atualmente, Cleonir conta com o apoio do marido, José Martins da Silva, e dos filhos Dione e Dheine. “Ela é uma mulher forte, que tem vontade de viver, e a cada dia tem necessidade de se sentir viva”, destacou a filha.

Após as primeiras ações, a filha conseguiu notar a necessidade do próximo. “O idoso quer conversar, com essas ações enxerguei isso. Entendo que quando a gente senta perto da minha mãe ela tem essa necessidade, de precisa falar com pessoas diferentes”.

Na mesa da coleta tem bonecas que serão doadas na ação do Dia das Crianças (Foto: Paulo Francis)Na mesa da coleta tem bonecas que serão doadas na ação do Dia das Crianças (Foto: Paulo Francis)

Próxima ação - O grupo “Amigos da Dheine” conta com mais de 20 membros e como está crescendo, Dheine quer mudar o nome do projeto para “Mais Amigos”, para atrair mais público.

Após as doações de ovos de Páscoa, doações de agasalhos, o grupo começou as arrecadações de brinquedos novos e usados que serão entregues no mês das crianças. “Faremos uma festa de Dia das Crianças em casa”, fala Dheine.

Para a ação, existe uma caixa de arrecadação no salão localizado na rua Presidente Arthur Bernardes, 301 – Santo Amaro. A organizadora também procura por mais pontos de coleta, para que os interessados possam estar passando e contribuindo com o trabalho.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram 

Dheine Martins de boné verde acompanhada dos outros membros do grupo (Foto: Arquivo pessoal)Dheine Martins de boné verde acompanhada dos outros membros do grupo (Foto: Arquivo pessoal)
imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.