A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 23 de Agosto de 2019

29/07/2019 06:22

Asilo ganha horta para alimentar vovós, mas também arrecadar dinheiro

São mais de 15 espécies de hortaliças que saem fresquinha para o prato por R$ 2,00

Alana Portela
A direita, Lázaro de Souza e a esquerda, Vanir José Pereira mexendo no canteiro de alface  (Foto: Alana Portela)A direita, Lázaro de Souza e a esquerda, Vanir José Pereira mexendo no canteiro de alface (Foto: Alana Portela)

Do canteiro para o prato, agora o Asilo São João Bosco tem horta própria para melhorar a alimentação no lugar, mas também gerar renda. Após anos, o projeto saiu do papel e conta com 5 mil m² onde são plantadas e colhidas mais de 15 culturas.

O alimento também vai atender aos moradores da região e abastecer mercados de Campo Grande, como forma de arrecadar, o que sempre foi um problema por ali.

O preço é único, R$ 2,00 e o local ficará aberto de segunda a segunda para a venda, das 6h às 17h. Tem alface roxa, crespa e americana, couve, couve-flor, cheiro verde, rúcula, almeirão, agrião, beterraba, abóbora, jiló, rabanete, hortelã, berinjela e muito mais. 

A engenheira agrônoma e técnica de campo do Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), Edvânia Cardoso, diz que são nove canteiros de 100 metros e outros 20 de 20 metros.

A preparação do solo e início das plantações ocorreu em maio deste ano e agora começa a colheita. “O objetivo inicial era atender a demanda do asilo e o excedente, comercializado”, explica.

A engenheira agrônoma, Edvânia Cardoso explicou como a horta foi preparada  (Foto: Alana Portela)A engenheira agrônoma, Edvânia Cardoso explicou como a horta foi preparada (Foto: Alana Portela)

As condições do terreno ajudam. “O solo é arenoso, bom para cultivo e tem boa drenagem. Utilizamos a adubação orgânica que é o esterco de confinamento e cama de frango, e adubos solúveis que são os químicos.

Trabalhamos com escalonamento, plantamos toda semana para que, quando estiver no período de maturação, tenha as hortaliças no ponto de colher”.

Para facilitar no manejo, três canteiros receberam Malchin, tipo de cobertura de plástico com furos sobre o canteiro. “Impede que plantas invasoras geminem e conserva a água no solo. A irrigação é por mangueira de Santeno e gotejamento”, explicou. Desde que o projeto foi colocado em prática, já deu para colher 3,5 mil produtos. “Cerca de 12 mil já estão plantadas”.

São nove canteiros com 100 metros de plantio (Foto: Alana Portela)São nove canteiros com 100 metros de plantio (Foto: Alana Portela)
Canteiros com Malchin e sem a cobertura (Foto: Alana Portela)Canteiros com Malchin e sem a cobertura (Foto: Alana Portela)
As hortaliças podem são colhidas para o asilo e para comercializa (Foto: Alana Portela)As hortaliças podem são colhidas para o asilo e para comercializa (Foto: Alana Portela)

Lázaro de Souza é funcionário responsável pela plantação e cuidados diários com a horta. Aos 60 anos, ele se dedica ao cultivo de hortaliças e também come, para uma dieta mais saudável. Como tem que cuidar o local todos os dias, está se mudando para o asilo. “Vou morar agora com eles, aqui é uma família. Faço porque gosto e levo de manhã para a cozinha”.

Vanir José Pereira, 67 anos, é um dos idosos atendidos no São João Bosco, e a horta para ele serve para lembrar de bons tempos, longe da solidão. “Tinha uma horta em casa e todos gostavam, se reuniam na minha horta. Admiro as pessoas que plantam e gosto de tudo, porque é um alimento saudável”.

Ao ver a hora com tantos cultivos, foi até o local para apreciar a beleza de tudo verdinho e fresco.

Vanir José Pereira é um dos assistidos do asilo (Foto: Alana Portela)Vanir José Pereira é um dos assistidos do asilo (Foto: Alana Portela)
Lázaro de Souza é o responsável pelo plantio na horta (Foto: Alana Portela)Lázaro de Souza é o responsável pelo plantio na horta (Foto: Alana Portela)
A funcionária pública, Maria do Carmo Tarine comprou alface (Foto: Alana Portela)A funcionária pública, Maria do Carmo Tarine comprou alface (Foto: Alana Portela)

Compras - A funcionária pública Maria do Carmo Tarine mora no bairro Carandá, mas afirmou que vai toda semana ao asilo para visitar os vovós. “Sou voluntária e procuro vir conversar com os idosos. A horta, além de arrecadar fundos, também vai ajudar na alimentação deles, por uma vida mais saudável”, diz. Ela é formada em nutrição e aproveitou para levar pra casa alface, rúcula, cebolinha e couve.

O casal Hermes Renan Rodrigues e Maria Aparecida Maia Rodrigues também foi conferir as novidades. Souberam da horta e passaram para fazer a comprinha da semana. “É a primeira vez que viemos comprar, mas conhecia o projeto. Soube há alguns dias que ia ter abertura da horta. O asilo tem um trabalho bonito e precisa de ajuda”, falaram. Para casa, eles levaram alface, rúcula e couve.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram

Maria Aparecida Maria Rodrigues e o marido, Hermas Renan Rodrigues compraram as hortaliças (Foto: Alana Portela)Maria Aparecida Maria Rodrigues e o marido, Hermas Renan Rodrigues compraram as hortaliças (Foto: Alana Portela)
imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.