A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

23/11/2017 07:38

Com fotos conceituais, marca Mi Corazón transforma roupas em porta-retratos

A marca tem vestidos, saias, blusas, camisetas, bolsas e até almofadas à venda, que custam de R$ 69 a R$ 350

Lucas Arruda
Marca Mi Corazón começou estampando fotos do Pantanal e de Bonito (Foto: Mi Corazón)Marca Mi Corazón começou estampando fotos do Pantanal e de Bonito (Foto: Mi Corazón)

Trabalhar com fotografia é uma paixão desencadeada há alguns anos em Fabianne Rezek e Giuliano Godoy. Os dois são publicitários, sempre flertaram com a arte de capturar os momentos através de lentes, mas só começaram como profissionais depois de 2010.

Neste ano, Fabi resolveu inovar e unir a fotografia e moda. Como ela tem uma afinidade com Giuliano, como profissional e amiga, resolveu chamá-lo para o novo empreemdimento. Em maio surgiu a marca de roupas, acessórios e objetos Mi Corazón. “Queria fazer algo com foto e que não fosse convencional”, justifica Fabi.

 

Os dois apresentaram suas roupas em Campo Grande na semana de moda do MarcoOs dois apresentaram suas roupas em Campo Grande na semana de moda do Marco

Os dois foram até Bonito, pois tinham a ideia de atingir unicamente os turistas. “Fizemos umas fotos de lá e conseguimos uma loja parceira para vender nossas roupas. Comprando uma de nossas peças eles levam um postal para casa, mas um postal que pode ser usado e mostrado para as pessoas”, explica. As roupas custam entre R$ 69 e R$ 350.

Em Bonito tudo parecia conspirar para que os dois seguissem com a marca. “Fomos a um restaurante na primeira noite lá que um casal peruano cantava uma música gospel em espanhol e no refrão repetiam a frase “mi corazón” um monte de vezes. No outro dia, estávamos olhando para o céu e apareceu uma nuvem em formato de coração. Devem ter sido sinais pra gente persistir”, reflete Fabi.

O nome da marca é bastante especial para Fabi. Era como seu pai, que era paraguaio e faleceu em 2004, se dirigia aos três filhos. “Eu tinha uma ligação muito forte com ele, éramos muito grudados. Sempre soube que se tivesse um negócio teria esse nome, fosse uma padaria, doceria, não importa. O nome já estava aqui e calhou muito bem. Acho que ele traz uma carga positiva para nosso trabalho”, acredita.

As peças são exclusivas, não há nenhuma repetição de foto. “Às vezes a pessoa usa M mas acha uma camiseta que gostou muito que é P, aí dizemos que não terá uma peça do tamanho dela, que ela vai ter que escolher outra. No fim ela acaba levando a pequena e também outra do seu tamanho. É difícil escolher, tem para todos os gostos, tem que ir olhando como se fosse um álbum de fotografia”, aconselha Giuliano.

 

Bolsas também são vendidas pela Mi CorazónBolsas também são vendidas pela Mi Corazón

Os dois não tinham o intuito de divulgar a marca aqui em Campo Grande, já que o público-alvo eram turistas, mas, depois de apresentarem suas roupas num desfile na semana de moda que aconteceu no Marco (Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul), a aceitação foi grande e decidiram investir aqui também.

“Além de fotografias do Pantanal e paisagens naturais também estampamos com fotos de cidade e coisas do cotidiano, as pessoas gostam, podem usar em qualquer momento do dia”, pontua Fabi. Além daqui também já vendem em São Paulo, Ilha Bela (interior de São Paulo) e estão fechando parceria com uma loja em Santa Catarina.

E em cada lugar que chega para vender suas peças os dois escolhem um fotógrafo local para compartilhar suas fotos com a marca, além das que eles próprios tiram. “Em Bonito pegamos fotos do Júlio Cesar Pires, que é engenheiro ambiental e trabalha no Pantanal. Ele faz registros incríveis por lá. Em Ilha Bela nosso parceiro é o Nilson de Oliveira. Gostamos de entrar em contato com quem fotografa onde vive para difundir as belezes através de um olhar mais apurado e acostumado com a realidade”, aponta.

Nas etiquetas das peças, para valorizar ainda mais a roupa, eles contam um pouco da história do fotógrafo, do lugar e da própria marca. “Achamos interessante fazer isso para que as pessoas conheçam um pouco da história do que está usando”, finaliza Fabi.

Em 1º de de zembro eles lançarão uma nova coleção, com cerca de 65 peças. Ainda não sabem se farão um desfile para apresentar as novas roupas. Para entrar em contato com a marca é só seguí-la no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o Lado B no Facebook e no Instagram.

Fotos urbanas também fazem parte da marca de Giuliano e Fabi Rezek (Foto: Lucas Arruda)Fotos urbanas também fazem parte da marca de Giuliano e Fabi Rezek (Foto: Lucas Arruda)


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.