A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Agosto de 2018

13/02/2018 09:39

Chuva dá trégua e primeiro dia de desfile leva 2 mil à Praça do Papa

Estrutura, iluminação, equipes de salvamento e segurança garantiram bem-estar aos presentes

Danielle Valentim
Animação das escolas de samba atraiu duas mil pessoas à Praça do Papa. (Fotos: Marcos Ermínio)Animação das escolas de samba atraiu duas mil pessoas à Praça do Papa. (Fotos: Marcos Ermínio)

A chuva que atingiu Campo Grande durante a tarde e permaneceu como garoa até o início da noite desta segunda-feira (12) não impediu que as arquibancadas montadas na região da Praça do Papa ficassem lotadas no primeiro dia de desfile do Grupo de Acesso das Escolas de Samba da Capital.

A Passarela do Samba recebeu três agremiações e uma escola mirim, com enredos baseados no “Carnaval Capital 40 Anos”.

Muitas famílias deixaram suas casas na primeira noite do evento para ver a passagem das escolas. De guarda-chuva na mão, Daiane Cristina, 20, saiu do Jardim das Meninas para acompanhar ir à Praça do Papa. Com a filha no colo, a jovem disse que não perde um ano. “Eu sempre venho e a garoa de hoje não poderia me atrapalhar”, disse.

Com um filho de 6 anos participando do desfile e Artur, de apenas um mês, no colo, a cabeleireira Neivair Jesus Lima, 36, provou que o samba –pelo menos na casa dela–, vem de berço. “Viemos para acompanhar meu outro filho, que só tem 6 aninhos, mas já está desfilando”, disse.

As adolescentes de 15 anos Ana Vitória e Steffany Magalhães chegaram cedo para garantir lugar na arquibancada. Para as meninas, a garoa só atrapalhou a “chapinha”. “Eu já desfilei na escola Unidos do Aero Rancho e hoje vim pra assistir. A garoa só está estragando meu cabelo”, disse Ana Vitória.

Garoa não foi problema para adolescentes que quiseram assistir ao desfileGaroa não foi problema para adolescentes que quiseram assistir ao desfile
Chuva não desanimou o público, que compareceu à Praça do PapaChuva não desanimou o público, que compareceu à Praça do Papa

Passarela – Às 20h30, a passarela recebeu a Escola Mirim convidada. A Herdeiros do Samba levou para a avenida o enredo “Nas águas mergulhei, nas águas me lavei, nas águas me criei, das águas me alimentei, Mato Grosso do Sul Admirei”. Com as alas repletas de crianças, a escola levantou o público e esquentou o clima.

Já às 21h20, foi a vez a Escola de Samba Unidos do Aero Rancho entrar na avenida Alfredo Scaff, com o enredo: “Tá vendo este Estado moço? Nós ajudamos a construir”. Reforçando o trabalho dos colonizadores no Estado, a escola montou a comissão de frente com japoneses do Grupo Sakura, da Associação Nipo-Brasileira. Além do esforço dos imigrantes, o grupo ressaltou a beleza oriental com a presença da Miss Nikkey.

“É a primeira vez que participo de um desfile de Carnaval, mas me sinto muito honrada em contar a história dos colonizadores dessa forma”, disse Sayuri Kobayashi, que além de miss foi a quarta princesa no concurso nacional.

Ajustando os últimos detalhes, agonia era o único sentimento do presidente da escola, Alberto Carioca, que afirmou ter investido R$ 50 mil na montagem da estrutura do enredo. “Muita coisa foi recuperada do ano passado, pois a ajuda do Estado e prefeitura chegaram muito tarde. A verba é uma boa ajuda, sim, mas precisa vir muito antes”, disse.


Cinderela – Com o enredo “Nas asas do beija flor, um berço de cultura se transformou. Mato Grosso do Sul, 40 anos de farturas culturais”, a Escola Cinderela Tradição, do José Abrão, pisou na avenida exatamente às 22h38.

Por último, às 23h30, a Escola de Samba Unidos do Bairro Cruzeiro, iniciou seu desfile, que tinha como enredo “Raízes, Mato Grosso do Sul é Pantanal”. Com a verba de apenas R$ 20 mil, a agremiação precisou adaptar tudo que foi usado em 2017.

“Estamos acertando os últimos detalhes e está bem difícil, pois precisamos esquentar cola e falta tomadas, na tenda disponibilizada pela Prefeitura. Foi difícil, mas chegou o grande dia”, disse Thierry Guedes, irmão do presidente da escola de samba.

A quantidade de público ultrapassou a expectativa da Lienca (Liga das Entidades Carnavalescas de Campo Grande). Segundo presidente Eduardo Souza Neto mais de duas mil pessoas, entre público e participantes das escolas, estavam no local.

“A chuva que começou à tarde atrapalhou as escolas até na saída dos seus bairros, mas agora que o tempo firmou está tudo ocorrendo como deveria. Aqui , neste momento, estimamos a quantidade de mais de 2 mil pessoas e mais pessoas devem chegar para acompanhar o show do grupo Só Pra Contrariar”, disse.

Nesta terça-feira (13), desfilam as escolas Igrejinha, Unidos Da Vila Carvalho, Deixa Falar e Os Catedráticos do Samba.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.