ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  14    CAMPO GRANDE 16º

Diversão

De volta ao Brasil, Michel Teló fica surpreso com decisão sobre "Ai se eu te pego"

Por Ângela Kempfer | 14/03/2012 09:27
Sharon só aceita co-autoria de Karine Assis Vinagre, Aline Medeiros da Fonseca e Amanda Grasiele Mesquita Teixeira da Cruz.
Sharon só aceita co-autoria de Karine Assis Vinagre, Aline Medeiros da Fonseca e Amanda Grasiele Mesquita Teixeira da Cruz.

O cantor Michel Teló chegou hoje ao Brasil e ao acessar a internet descobriu que a Justiça da Paraíba determinou o bloqueio de toda a receita arrecadada com o hit 'Ai se eu te pego'. O irmão e empresário do músico, Teófilo Teló diz que, apesar da chateação, a notícia foi recebida com tranquilidade por Michel e pela equipe. “A gente já está acostumado. Sempre aparece alguém querendo lucrar”, comenta.

Diretor da Panttanal Discos, parte envolvida no processo movido por estudantes que reivindicam a co-autoria da música, Teófilo lembra que com o sucesso “Chora, me liga”, o mesmo ocorreu. “Só nessa tinham dois reclamando que eram autores”.

Como a editora comprou os direitos da canção e apenas administra o sucesso, sem responsabilidade sobre a autoria, Teófilo diz que vai apresentar informações solicitadas pela Justiça e acredita na solução rápida e desbloqueio da arrecadação. “Nem a gravadora, nem o Michel têm nenhuma responsabilidade sobre isso”, resume.

Michel volta ao Brasil depois de turnê pela Europa e de saída já tem agenda cheia. Na sexta faz show em Paranavaí (PR) e depois segue para Belo Horizonte.

As estudantes Maria Eduarda Lucena dos Santos, Amanda Borba Cavalcanti Quiroga e Marcella Quinho Ramalho sustentam que fizeram a música durante uma viagem para Orlando (EUA) em julho de 2006. A canção, no entanto, está registrada em nome de Sharon Acioly e Antônio Diggs.

O que deu força ao pedido das meninas foram declarações da própria Sharon que em várias entrevistas confirmou a versão das estudantes sobre o refrão. Um vídeo anexado ao processo também mostra a compositora admitindo que a ideia partiu das amigas durante uma viagem.

Por enquanto a decisão é liminar, até que seja julgado o mérito da ação. Caberá a Justiça decidir se a brincadeira configura ou não co-autoria,

Na semana passada, quando veio á tona o processo, por meio da assessoria de imprensa, Sharon afirmou que "nunca omitiu que a música surgiu de brincadeiras realizadas por três estudantes de João Pessoa”, mas cita como co-autoras apenas Karine Assis Vinagre, Aline Medeiros da Fonseca e Amanda Grasiele Mesquita Teixeira da Cruz, que não são parte do processo que determinou o bloqueio agora.

Ela lembrou que sempre manteve contato para definição das questões legais de registro e edição do hit e confirmou que a música “possui como trecho de sua letra a criação das estudantes”.

“As conversas sobre participação na composição foram definidas recentemente, sendo então finalizada a negociação autoral entre os seus compositores e a editora responsável, estando tais questões contratuais resguardadas pela confidencialidade que é padrão no mercado”, informa sobre o caso de Aline, Karine e Amanda.

No entanto, depois do acerto com as 3 amigas, as outras jovens do grupo que fez a viagem a Orlando também reivindicaram direitos. Em relação às estudantes Marcella Quinho Ramalho, Amanda Borba Cavalcanti de Queiroga e Maria Eduarda Lucena dos Santos, a briga parece que vai ser boa.

Sharon não admite a participação das 3 na composição. A compositora afirma que a participação na canção jamais existiu e que as moças estão tendo uma “atitude desesperada” de conseguir dinheiro.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário