A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019

13/11/2018 08:28

Depois de levar calote do próprio amigo, Hilton foi de moto conhecer o mar

O amigo gastou todo o dinheiro da passagem, mas ele não desistiu do sonho de infância e começou uma aventura com a CG 160 Fan

Thailla Torres
Depois de 6 anos sem tirar férias, Hilton foi de moto até a praia para realizar um sonho de infância. (Foto: Arquivo Pessoal)Depois de 6 anos sem tirar férias, Hilton foi de moto até a praia para realizar um sonho de infância. (Foto: Arquivo Pessoal)

Em 2017, o vendedor Hilton Rodrigues, de 30 anos, decidiu que conheceria o mar. Pensando em fazer uma viagem pelas praias do Nordeste, ao lado de um amigo, a surpresa veio há dois meses quando soube que o sujeito havia gastado todo o dinheiro da passagem, sem ter como ressarcir o valor. Mas antes de desistir das férias tão esperadas, ele tomou uma decisão radical. Trocou o avião pela moto e saiu sozinho para a viagem memorável.

Na semana passada ele deixou Campo Grande rumo à aventura planejada, só que em cima de uma CG 160 Fan. A ideia era chegar até a praia mais próxima de Mato Grosso do Sul, em Santos, para mergulhar no mar e voltar para casa com sonho de infância realizado. Mas no meio do caminho, ao fazer novos amigos, ele decidiu conhecer outros lugares.

As belezas encontradas na estrada ele compartilhou nas redes sociais. (Foto: Arquivo Pessoal)As belezas encontradas na estrada ele compartilhou nas redes sociais. (Foto: Arquivo Pessoal)

Quando conversou com o Lado B, o vendedor tinha acabado de chegar às Cataratas do Iguaçu. Já tinha conhecido diversas praias de Santa Catarina e a ideia era fazer um caminho diferente para explorar mais as estradas do Paraná.

A família, a casa, trabalho e as contas, sempre foram para ele, uma prioridade no dia a dia. Hilton diz trabalhava há seis anos sem férias só para conquistar estabilidade e patrimônio, por isso, nunca conseguiu tirar as férias merecida. “Não sobrava dinheiro. Quando tinha dinheiro, também não tinha tempo, então fui adiando a viagem”.

Foi no ano passado, durante uma conversa com um amigo, que ele viu a chance de conhecer o mar. “Esse amigo disse que a mãe dele tinha uma casa em Maceió, ou seja, não precisaria pagar hospedagem. Única coisa era comprar passagens e juntar dinheiro para gastar lá”, conta.

Hilton então passou a juntar a grana na conta, até que um dia emprestou o dinheiro das passagens para o amigo que garantiu que compraria os bilhetes aéreos parcelados. “Depois de um tempo passei a perguntar das passagens e ele disse que estava tudo certo. Até que duas semanas antes da viagem ele me disse que havia gastado, que não tinha dinheiro para comprar e se eu quisesse teria que ir sozinho”.

Oeste catarinense foi uma das paradas do vendedor. (Foto: Arquivo Pessoal)Oeste catarinense foi uma das paradas do vendedor. (Foto: Arquivo Pessoal)

Chateado, Hilton passou a procurar passagens mais baratas e se deparou com valores altíssimos para qualquer lugar do País. Foi quando pensou na moto comprada há dois meses. “Pensei em desistir, mas eu falei pra mim e para o mundo que conheceria o mar. Então peguei o mapa e vi qual era o mar mais próximo. Era em Santos, mas um dia antes de pegar a estrada um amigo me sugeriu conhecer Santa Catarina”.

Com uma mochila nas costas, dinheiro na conta e uma jaqueta de couro, Hilton abasteceu a moto e pegou a estrada. Foram mais de 1 mil quilômetros no primeiro dia. Quando ele chegou até a primeira praia, a emoção tomou conta. “Eu fiquei uns minutos meio envergonhado de pular no mar. Andei umas quatro praias até mergulhar de verdade. Depois, lambi os beiços para ver se era salgada mesmo, foi muito emocionante”.

Ver o mar era um sonho de infância, conta o vendedor. “Sempre tive vontade, mas faltavam condições. Na adolescência, minha família fez uma viagem, mas eu já trabalhava e não pude ir. Mas nunca me faltou vontade”.

Com menos de R$ 100,00 por dia, entre hospedagens, alimentação e passeios, a viagem amenizou até a tristeza com o calote dos últimos dias. “É claro que eu fiquei chateado, mas acho que se não tivesse acontecido isso, eu nunca teria realizado uma aventura dessas na vida”. 

Quando Hilton já estava na praia, o amigo depositou o valor das passagens. 

O único desafio, segundo ele, é o calor que castiga. “Mesmo com jaqueta, quando está muito sol na estrada, a gente chega cansado por causa do calor. Mas uma dica que eu deixo é sempre viajar de dia, porque é mais seguro. À noite, eu paro para dormir, descanso, depois, saio de novo na madrugada para seguir minha aventura. Acredito que foram as melhores férias da minha vida”.

Já viveu uma aventura como o Hilton? Conta para o Lado B no Facebook, Instagram ou e-mail: ladob@news.com.br 

Hilton diz que ficou horas admirando o mar. (Foto: Arquivo Pessoal)Hilton diz que ficou horas admirando o mar. (Foto: Arquivo Pessoal)
Ele foi até na divisa com Argentina. (Foto: Arquivo Pessoal)Ele foi até na divisa com Argentina. (Foto: Arquivo Pessoal)


Quem disse que criamos raízes? Isso é pura convenção social, nós queremos mesmo é conhecer o mundo, nascemos nele e nele pereceremos, então nada mais justo do que conhecer suas belezas naturais, cultura e pensamentos diversos... quem nunca pensou em chutar o balde?.... tenho certeza do que falo.... já fiz algumas aventuras assim, só que de bike, a estrada ensina, alimenta e corrige.É um delicioso vício, chegar a algum lugar legal!!
 
TIJUANO em 13/11/2018 09:40:33
imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.