A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Março de 2019

13/01/2019 08:52

Gastando pouco, Kimberly curtiu férias com pôr do sol e Mata Atlântica incríveis

O Lado B abre espaço para quem deseja contar sobre a viagem de férias e inspirar leitores a fazerem as malas

Thailla Torres
Kimberly escolheu Prainha Branca como destino. O local é opção para quem deseja fugir das praias urbanizadas e lotadas do Guarujá. (Foto: Arquivo Pessoal)Kimberly escolheu Prainha Branca como destino. O local é opção para quem deseja fugir das praias urbanizadas e lotadas do Guarujá. (Foto: Arquivo Pessoal)

Janeiro é mês em que as redes sociais são alimentadas por fotos incríveis de quem curte as férias de um jeito diferente. Não faltam experiências, por isso, o Lado B abre espaço para quem quiser contar sobre um roteiro inesquecível nesse período do ano, dentro ou fora do Brasil. Neste fim de semana, quem tirou um tempinho para  contar e inspirar leitores a fazerem as malas foi a acadêmica Kimberly Weiss, de 22 anos, que escolheu Prainha Branca como destino de férias, considerado um paraíso no litoral sul de São Paulo.

O local é opção para quem deseja fugir das praias urbanizadas e lotadas do Guarujá. Por ser estudante, Kimberly sempre viaja de ônibus pelo "ID Jovem", um documento que oferece diversos benefícios aos jovens como, por exemplo, meia-entrada para eventos culturais e esportivos e vagas gratuitas e com descontos em transportes coletivos. "O trajeto foi percorrido com um ônibus com destino a São Paulo Barra Funda, em seguida peguei metrô para chegar em Jabaquara, lá eu embarquei em um ônibus para Bertioga, durante 6 dias me hospedei em uma casa cedida por um rapaz que eu havia encontrado pelo Couchsurfing, um aplicativo maravilhoso para quem gosta de viajar e não pode gastar com hospedagem".

A melhor experiência foi o contato com a natureza. (Foto: Arquivo Pessoal)A melhor experiência foi o contato com a natureza. (Foto: Arquivo Pessoal)

De início, Kimberly e a amiga conheceram a Praia da Enseada e a Praia de Riviera. "Outras amigas minhas chegaram em Bertioga, Ste e Leah, e por coincidência resolvemos ir para a Prainha Branca juntas. Eu havia passado a virada do ano por lá, mas não recomendo, pois há muita gente e a praia inteira fica suja e de difícil acesso". Por isso, resolveu dar outra chance e voltar à Prainha. "Algumas pessoas haviam me dito que por lá estava mais tranquilo. Ainda, a Prainha Branca é uma pequena ilha separada de Bertioga, e existem duas maneiras de chegar sendo o barco ou de balsa. O barco custa em média R$ 20 para a travessia. Outra opção é ir a pé percorrendo uma trilha de 20 minutos, por isso, quanto menos bagagens levar melhor", descreve.

Ao chegar na trilha o encantamento começa, garante. "Nos encantamos pela ilha ser rica de natureza e ser um dos poucos lugares que você ainda pode encontrar a Mata Atlântica, além disso a praia estava mais vazia e a água limpa e cristalina, mas minhas amigas ficaram apenas uma tarde por lá, e eu por estar apaixonada pela praia, resolvi permanecer sozinha".

Poucas pessoas, água limpa, muitas ondas, fácil de nadar, um céu imenso cheio de nuvens e sol, foram motivos que levaram Kimberly a ficar sozinha no local. "Após pesquisar os valores dos campings descobri a média de valores por noite em alta temporada para quem não tem barraca: é R$ 50,00 por pessoa".

Na primeira noite ficou no camping "Pé na Areia", que na visão de Kimberly é mais acessível, organizado, limpo e próximo ao mar. "No dia seguinte resolvi conhecer sozinha a Prainha Preta que fica ao lado, separada por uma trilha de 30 minutos. Recomendo para quem gosta de aventuras intensas. Lá é inabitável e um pouco difícil de chegar, mas a experiência é incrível, me sentia em um pedaço de Noronha com água limpa, muitas ondas em algumas partes, fácil de nadar, um céu imenso cheio de nuvens e sol. Tive a chance de ficar quase o tempo todo sozinha, e o contato com a natureza é incrível".

A beleza do mar que mora ao lado da mata. (Foto: Arquivo Pessoal)A beleza do mar que mora ao lado da mata. (Foto: Arquivo Pessoal)
Encontro com os amigos durante um dia de praia. (Foto: Arquivo Pessoal)Encontro com os amigos durante um dia de praia. (Foto: Arquivo Pessoal)

Kimberly recomenda a viagem para todas as pessoas que gostam de aventuras com baixo custo. Com o ID Jovem, por exemplo, ela gastou cerca de R$ 20,00 no ônibus, R$ 4,00 no metrô e o ônibus até a praia R$ 40,00. O gasto com hospedagem foi cerca de R$ 150,00 para três noites e R$ 50,00 para alimentação. "Na volta, o ônibus até Guarulhos saiu R$ 32,00 e consegui uma promoção de avião por R$ 160,00", conta.

A viagem também é uma oportunidade de encontro pessoal, diz a acadêmica. "É um lugar rico em natureza e vibrações boas, onde conheci pessoas humildes de coração aberto. Um dos pontos positivos é que a Prainha não possui rede de celular, isso a torna ainda mais incrível, pela possibilidade de reconhecimento de si e desprendimento do mundo e preocupações exteriores. Meu coração já sente falta das ondas e do barulho do mar. Volto em breve".

Tem uma experiência incrível de férias para compartilhar? Mande para o Lado B no Facebook, Instagram ou e-mail: ladob@news.com.br



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.