ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 33º

Artes

Quatro anos após se despedir do parceiro de música, cantor Amambai morre

Amambai fez dupla com Amambaí, que morreu em 2018. Os dois marcaram a música sertaneja de MS

Thailla Torres | 04/05/2022 09:25
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Morreu no fim da noite de terça-feira (3), o cantor Amambai, da dupla Amambai e Amambaí, que marcou a música sertaneja de Mato Grosso do Sul. Não há informação sobre a causa, mas a família suspeita de um ataque cardíaco.

Em nota a pedido do filho, o amigo e cantor Castelo informou o falecimento. “É com profundo sentimento que comunicamos o falecimento do querido cantor Amambai. Nos deixou nesta manhã e foi juntar-se aos companheiros de arte: Amambaí, Zé Corrêa e Dino Rocha. Que Deus em sua infinita bondade o receba no Reino da Glória”, disse.

Em 2018, Amambai se despediu do grande amigo e parceiro de música Amambaí, com quem cantou durante anos, encantando MS e países como Bolívia, Paraguai e Argentina, levando chamamé, polca paraguaia e guarânia.

Em 2016, Amambai, com nome de batismo Ermídio Umas, recebeu o Lado B em sua residência, para lembrar os tempos de glória da carreira da dupla, que tinha o som dançante da harpa casado com o acordeon como fórmula indispensável a cada apresentação.

Naquele ano, os dois já tinham seguido destinos diferentes, mas Amambai seguia cantando em restaurantes da cidade. Foram 50 anos de carreira ao lado do amigo, e cerca de 18 discos gravados.

Em sua última entrevista para o Lado B, ele destacou a força da fronteira para o sucesso vivido ao longo da vida. “Sempre cantamos em Português, Guarani e Castelhano, foi a chance de conquistar as gerações e as pessoas gostam do nosso estilo e isso não mudo”, descreveu.

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Nos siga no Google Notícias