ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEXTA  07    CAMPO GRANDE 20º

Faz Bem!

Perfil "não sou vegana, mas quero ser" reúne dicas para mudar hábitos

Psicóloga, Giovana Tomazela administra página que narra o dia a dia de quem quer consumir com mais consciência

Por Paula Maciulevicius Brasil | 19/07/2020 12:04
Giovana entre copos, canudos, escova de dente, colher e cosméticos que reduzem lixo ao mínimo. (Foto: Arquivo Pessoal)
Giovana entre copos, canudos, escova de dente, colher e cosméticos que reduzem lixo ao mínimo. (Foto: Arquivo Pessoal)

Falou em veganismo, todo mundo arregala os olhos. Depois da experiência, 15 anos atrás, de tentar ser vegetariana sem muito sucesso, a psicóloga Giovana Tomazela, de 35 anos, embarcou numa jornada que envolve o consumo consciente como um todo a partir do simples.

No Instagram "Não sou vegana mas quero ser", ela reúne dicas do que vem encontrando no mercado e do que já aderia por conta própria, desde que decidiu levar uma vida mais leve.

Foram cinco anos dedicados ao trabalho de Recursos Humanos em uma indústria, período que ela descreve como sendo de "vender a alma". Depois disso, Giovana mudou completamente de rumo profissional, ativando o plano B de trabalhar com unhas acrílicas, coisa que hoje já observa com outros olhos, pelo lixo que acaba produzindo.

"Eu tentei ser vegetariana em 2005, não tinha tanta opção como tem hoje que é bem mais fácil de parar de consumir carne. Então resolvi começar no que eu consigo e ir aos poucos. Você começar com um sabonetinho, já é alguma coisa, você vai mudando de pouquinho em pouquinho", afirma.

Não sou vegana, mas quero ser, Giovana mostra das pequenas às grandes mudanças. (Foto: Arquivo Pessoal)
Não sou vegana, mas quero ser, Giovana mostra das pequenas às grandes mudanças. (Foto: Arquivo Pessoal)

Dentro de um ciclo de vida corrida que estimulava um consumo desenfreado, Giovana parou para repensar em si e também no planeta. "Comecei a pesquisar óleos essenciais e ver que xampu eu estava usando, o que eu vinha colocando dentro de mim, na minha pele e o que isso iria gerar para o planeta. Isso começou  me enlouquecer", lembra.

Entre as escovas de bambu, xampus sólidos e sabonetes veganos, ela acabou trazendo costumes para dentro de casa e aderiu até a uma composteira. "Meu marido, que é arquiteto, vai na onda e um dia ele falou que eu deveria organizar essas ideias", fala.

A sugestão foi reunir tudo num Instagram. "Ele mesmo que falou reúne essas informações, onde você encontrou, porque deve ter mais gente querendo saber disso", completa.

A conta no Instagram era pessoal, mas vinha sendo mais ocupada com fotos de cachorros. As ideias reunidas ali se dividem entre posts e vídeos no IGTV de dicas e produtos e também ensina como fazer seu próprio desodorante, entre outras dicas.

"Quando comecei a fazer, percebi um monte de gente perto de mim que já seguia essa linha e eu não sabia. Também estou recebendo dicas de produtos e de lojas", conta.

Para quem quer começar do zero um consumo mais consciente, de produtos que não poluem o meio ambiente, não gerem lixo e não sejam testados em animais, Giovana aconselha o canudo.

"É algo que você pode carregar, um canudo uma colherzinha, uma ecobag. É facinho, não custa caro e normalmente você já tem em casa", diz.

Outro exemplo que ela dá, partindo de si mesma, foi em relação ao lixo reciclável, que nem todos os bairros da cidade são alcançados pela coleta seletiva, mas nada impede que você procure uma destinação.

"Comecei com as tampinhas para o MS Tampinhas (projeto que junta tampinhas para castrar animais de rua), e já que eu estava separando, resolvi separar tudo. Então, uma coisinha puxa a outra e o resto vem", descreve.

Quem conhece Giovana ao vivo sabe que de cozinha ela pouco gosta e entende. Não é segredo, o que acaba provando que o Instagram dela tem reunido coisas simples mesmo. "Mas você está fazendo sabão? Gente, se eu faço, para quem me conhece, então qualquer pessoa pode fazer", brinca.

O desodorante que tem usado é fruto do próprio feitio, a partir de receitas e ingredientes naturais. "Eu mostro que dá para fazer isso, mas se você não quiser fazer nada e só comprar, tem opção de onde vende e barato", diz.

Ao contrário da fama que muitos veganos acabam tendo, de serem chatos, Giovana quer justamente mostrar que dá para mudar pequenas coisas sem traumas, até se chegar à alimentação. "Uma mudancinha por vez. Eu quero mostrar que as mudanças que fiz são fáceis, porque ouço muito por aí: 'ai que bacana, mas não é pra mim', e a pessoa nem percebe que vai gastar menos, se cuidar mais e nem vai sentir mudança drástica assim", explica.

A ideia é não assustar. Gastar menos e viver melhor. Claro que o plano e o foco é sim de virar vegana, mas aos poucos, e quem sabe, levando seguidores juntos. O Instagram da Giovana é o: @naosouveganamasqueroser.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.