A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 19 de Setembro de 2017

23/05/2017 12:00

Jogos inteiramente baseados em filme estão cada vez mais raros. Isso faz falta?

Edson Godoy
Jogos inteiramente baseados em filme estão cada vez mais raros. Isso faz falta?

Até não muito tempo atrás, existia um padrão que sempre unia a indústria cinematográfica com a indústria dos videogames: sempre que era lançado um filme de grande orçamento com temática propícia aos games, simultaneamente chegava ao mercado um jogo totalmente baseado nele.

Essa prática funcionava desde os primórdios dos videogames, até mesmo com filmes que aparentemente não tinham nada a ver com jogos, como Porky’s, uma comédia adolescente do começo dos anos 80cheia de conteúdo erótico, lançada pouco depois para o Atari 2600.

Com o passar dos anos essa prática foi ficando cada vez mais padronizada, tornando outro detalhe muito evidente: em sua grande maioria, esses jogos possuíam qualidade abaixo da média. As razões eram muitas: pressa para poder lançar o game ao mesmo tempo ou próximo da data em que os filmes chegariam aos cinemas, falta de liberdade para trabalhar a história do jogo e a sensação de que apenas com o nome do filme famoso o sucesso de vendas já estaria garantido, independente da qualidade dele – quem aí lembra do E.T. do Atari 2600?

Chegamos então ao ano de 2017, onde podemos observar claramente um fenômeno: onde estão os jogos baseados em filmes? Vejamos o recente lançamento de Alien: Covenant. Antigamente um filme como esse era garantia de jogos de videogame. Desde o primeiro filme da franquia até o quarto, todos renderam jogos – alguns muito bons por sinal. E hoje, nem um alienzinho sequer dá as caras nos games em razão do novo filme. E esse fenômeno está presente em quase todos os grandes lançamentos: Star Wars – o Despertar da Força, ganhou um mísero jogo da franquia LEGO; o último filme da mesma franquia, Rogue One, não chegou nem a isso, ficando apenas em um DLC para o jogo Star Wars: Battlefront.

Agora reflita por um instante e tente lembrar qual foi o último jogo de videogame que você jogou que fosse totalmente baseado em um filme? Pense bem, pois terá trabalho para encontrar. E não estou me referindo a jogos baseados nas franquias. Desses temos vários exemplos: os jogos da série Arkham do Batman, Alien: Isolation e o próprio Star Wars: Battlefront citado são alguns bons exemplos. Me refiro a adaptações diretas mesmo, que sejam totalmente baseadas em uma película. Parece que apenas os jogos da linha LEGO ainda mantem essa tradição.

Mas aí nos perguntamos: será que saímos perdendo com isso? Sim e não. Sim, pois é inegável que é bem maneiro você poder curtir nos videogames as emoções daquele filme que adorou nos cinemas. Como fã de cinema que sempre fui, sempre tive queda por esse tipo de jogo, por mais que na maioria das vezes as decepções fossem maiores que as boas surpresas. Mas por outro lado, saímos ganhando muito com essa mudança de rumo da indústria dos games, o que acaba não nos deixando saudade dos jogos totalmente baseados, pois isso abriu um leque enorme de possibilidades para que os desenvolvedores de jogos trabalhassem essas franquias famosas.

Veja por exemplo o jogo Ghostbusters: The Video Game, lançado para praticamente todos os consoles da sétima geração. O jogo conta uma história original de forma tão brilhante que é considerado por muitos e até mesmo por alguns dos atores dos filmes originais – que emprestaram suas vozes ao game – como uma verdadeira continuação dos dois filmes clássicos. Outro exemplo é o já citado Alien: Isolation, que também conta uma história original que se passaria entre os dois primeiros filmes da saga, em um jogo brilhante e envolvente, de deixar qualquer fã dos xenomorfos apaixonado.

É claro que nem sempre tudo sai da forma como gostaríamos. Temos exemplos de histórias originais baseadas em franquias que são mal conduzidas, como Aliens: Colonial Marines. Mas a quantidade de exemplos ruins dessa nova tendência da indústria é muito menor do que a quantidade de porcaria licenciada que era lançada no passado. Confesso que uma aventura nas entranhas de Alien: Covenant cairiam muito bem para este velho fã dos notórios alienígenas, apesar do filme ter sido um pouco decepcionante. Mas é inegável que nessa equação de filmes totalmente baseados em apenas um filme e aqueles baseados em toda uma franquia, nos saímos ganhando muito e ao que tudo indica, essa é uma tendência que não deve mudar tão cedo.

E você, caro leitor? Concorda com minha opinião? Ou está cansado de só ter os jogos da série LEGO para reviver as aventuras do seu personagem do cinema favorito? Conte pra gente. Ah, e como falei bastante da franquia Alien na matéria, confira o vídeo que fizemos mostrando todos os jogos da série lançados nos videogames e nos arcades. E não deixe de visitar o Vídeo Game Data Base, o museu virtual brasileiro dos videogames.




imagem transparente
Busca

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.