A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Janeiro de 2019

24/12/2018 09:21

Feira vegana reúne galera que decidiu mudar de vida e abre mão do peru de Natal

Veganos e vegetarianos se unem para driblar receitas com carne e outros produtos de origem animal.

Gustavo Maia
Cupcake vegano especial de natal. (Foto: Gustavo Maia)Cupcake vegano especial de natal. (Foto: Gustavo Maia)

Feira Vegan, que acontece todo sábado na Praça dos Imigrantes, é oportunidade de conhecer quem decidiu mudar de vida começando pela alimentação. E aquela estória de que vegano só come alface cai por terra com a variedade de receitas que a galera é capaz de inventar. 

Opções como o Veg Lanche Feliz e o Veg Mutano, carro-chefe da banca do casal Shirlei Rocha e Guilherme Ribas, feito com hambúrguer de soja, alface, tomate, maionese de alho e bacon vegano, feito à base de soja, são alento para quem trocou carnes por legumes, mas é fã de lanches. Na edição desse final de semana, especial de natal, tinha até o cupcake natalino, de chocolate vegano com ganache, chantilly e morango. Para quem não resiste a um salgado, o vendedor Raphael Rabelo criou a coxinha de shitake com abóbora, e tem até lanche com direito à cheddar feito de castanha de caju.

Quem é vegetariano ou vegano, aprova as receitas e diz não sentir falta do tradicional peru de Natal ou do churrasquinho de fim de ano. Luana Macedo, de 22 anos, é vegana há 1 ano e veio de Pelotas, no Rio Grande do Sul, para morar aqui na capital. Indo à feira pela primeira vez, em busca de uma coxinha de beterraba e carne de jaca, receita que conheceu através de uma amiga vegana, diz que pretende voltar e afirma que comida vegana não precisa ser cara ou ruim. “O veganismo é possível, barato e saboroso. Infelizmente ainda tem muito tabu, muito mito sobre o assunto. Mas incentivar quem está fazendo veganismo na cidade já é um grande passo”, afirma Luana.

Luana Macedo foi à procura da coxinha de beterraba. (Foto: Gustavo Maia)Luana Macedo foi à procura da coxinha de beterraba. (Foto: Gustavo Maia)
Vanessa Neto se tornou vegetariana após palestra. (Foto: Gustavo Maia)Vanessa Neto se tornou vegetariana após palestra. (Foto: Gustavo Maia)

A professora Vanessa Neto, de 31 anos, que aderiu ao modo de vida vegano em 2018, não sente falta das receitas que levam carne, ovo, leite ou mel. “Eu cozinhava basicamente coisas que giravam em torno de carnes, laticínios, e agora minha cozinha é baseada em verduras e legumes, mas eu consigo ter uma variedade bem grande de receitas”, garante. Ela conta que tomou a decisão de ser vegetariana depois de assistir a um seminário sobre Estudos Animais, em 2015. “Percebi que tinha alguma implicações éticas, morais”.

Vanessa conta que já comeu carne por engano. “Eu pedi um hambúrguer de soja num restaurante aqui em Campo Grande e me trouxeram um hambúrguer de carne. Eu confiei neles, porque já tinha comido pratos veganos lá, mas eles se confundiram. Eu achei o sabor meio estranho e depois de um tempo percebi que estava comendo carne”, relata ela, lembrando do episódio desagradável.

Sobre a suposta dificuldade que veganos têm para se alimentar, ela diz que isso já é passado e que o desafio agora é deixar os velhos hábitos de lado e aproveitar as opções para se fazer o próprio prato. “Tem bastante opção vegana na cidade hoje, já não é mais um desafio pro vegano se alimentar bem e com comida barata, se a pessoa se propuser a cozinhar e comer vegetais. O problema é que às vezes a gente tá com um paladar muito viciado àquele sabor já característico da soja, que hoje tem sabor artificial de tudo, por exemplo. Daí fica difícil encontrar pratos baratos”, explica ela, acrescentando que hoje, sendo vegana, se sente mais saudável, mais disposta.

Camila Cirico é criadora do Guia Vegan CG. (Foto: Gustavo Maia)Camila Cirico é criadora do Guia Vegan CG. (Foto: Gustavo Maia)

A designer Camila Cirico, de 24 anos, é vegana há pouco mais de 1 ano, mas conta que não come carne vermelha desde os 10 anos de idade, por não gostar do sabor. Hoje ela é dona do Guia Vegan CG, um site que mostra onde encontrar opções veganas na cidade.

Quando se tornou vegana e começou a frequentar novos lugares, ela passou a registrar suas descobertas e pedir indicações de outros lugares para os veganos que conhecia. A lista não parava de crescer, e ela anotava tudo num bloquinho de notas. No começo do ano ela decidiu transformar suas anotações num perfil do Instagram, que hoje já tem mais de 6 mil seguidores. “Eu precisava sistematizar essas informações para outras pessoas poderem conhecer esses lugares”, conta Camila. E foi daí que surgiu a ideia do site, onde ela e uma amiga mapearam todos os lugares que elas sabem que oferece opções de pratos, bebidas, serviços e até vestuário veganos. “Minha amiga Daniella Mesquita, que é psicóloga, se tornou vegana na mesma época que eu, então começamos a compartilhar muita informação sobre isso”, relata ela, que começou o projeto como uma experimentação. “Vamos criar uma rede social e ver no que vai dar. Daí a gente começou a participar de todos os eventos veganos que aconteciam, conversar com as pessoas, falar do nosso projeto, e aí o negócio foi crescendo”.

A artista visual Maria Chiang, de 28 anos, é vegetariana há cinco, e não sentiu tanta dificuldade para mudar o estilo de alimentação - apenas decidiu parar de comer carne e pronto. Ela vai à feira vegana em busca de um prato bem específico: a coxinha de shitake com abóbora. “Coxinha é uma coisa que eu gosto muito e normalmente a gente só encontra com recheio de carne moída ou de frango, não tem nem de queijo. Outra coisa que eu tenho muita vontade de comer é kibe e não tem muito lugar que vende kibe vegetariano, e aqui tem. A feirinha ajuda bastante nisso”, conta ela.

Na última edição antes do natal, a feirinha que acontece desde 2016 reuniu quem já passou vários natais veganos e quem vai curtir o primeiro fim de ano sem as receitinhas tradicionais da família, mostrando que sempre é tempo para mudar e começar um novo ciclo na vida.

Curta o Lado B no Instagram e no Facebook.

Desde 2016 Feira Vegan concentra o que está sendo produzido de receitas veganas e vegetarianas em Campo Grande. (Foto: Gustavo Maia)Desde 2016 Feira Vegan concentra o que está sendo produzido de receitas veganas e vegetarianas em Campo Grande. (Foto: Gustavo Maia)


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.