ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, DOMINGO  17    CAMPO GRANDE 22º

Sabor

Sonho de Wilson, agora doce de leite tem "Selo Arte", o 1º do Brasil

Wilson criou o doce de leite Ponto Alto, que é a regularização mais importante para produtos artesanais no Brasil

Por Lucas Mamédio | 15/12/2020 07:07
Doce de leite Ponto Aldo (Foto: Divulgação)
Doce de leite Ponto Aldo (Foto: Divulgação)

Uma relíquia gastronômica “se esconde” em Nova Alvorada do Sul, na Estância Alvorada. É nesse local que o produtor de leite Wilson Igi criou o doce de leite Ponto Alto, que acaba de receber do governo federal o Selo Arte, forma de regularização dos produtos alimentícios de origem animal, que precisam ser produzidos de forma artesanal. Somente após a conquista deste selo o produtor pode comercializar seus produtos para outros estados.

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), desde 2019, quando o Selo Arte foi regulamentado, 52 Selos Arte foram concedidos, sendo a maioria para produtores de queijo de Minas Gerais. O doce de leite Ponto Alto, de Mato Grosso do Sul, é o primeiro da categoria a receber o selo.

Tacho para produção do doce de leite (Foto: Divulgação)
Tacho para produção do doce de leite (Foto: Divulgação)
O doce é feito na EstÂncia Alvorada em Nova Alvorada (Foto: Divulgação)
O doce é feito na EstÂncia Alvorada em Nova Alvorada (Foto: Divulgação)

O doce de leite de Wilson é um sonho antigo do produtor rural. “Eu já sou produtor de leite há 15 anos, mas a produção do doce leite em 2019. Fui fazendo vários testes até chegar nesse ponto que é o comercializado”.

Ele conta que no começo foi bem pragmático, pois não tinha nem sequer uma receita. “Eu não sabia e tive que aprender como todo mundo. Eu distribuí 300 potes com doce e junto mandei um questionário perguntando as preferências de quem estava consumindo como “prefere mais escuro ou mais claro”, “mais doce ou menos doce”, "mais brilhoso ou menos brilhoso” e assim cheguei numa receita que se adequasse ao gosto do cliente”.

A receita de Wilson é simples: leva leite, açúcar e bicarbonato. “O segredo é  qualidade do meu leite. Iniciamos com um lote de girolando, na sequência um lote de jersey, até que chegamos na qualidade desejada com o cruzamento dessas duas raças””.

Wilson recebendo o Selo Arte (Foto: Divulgação)
Wilson recebendo o Selo Arte (Foto: Divulgação)

No caso do doce de leite Ponto Alto, o produtor rural Wilson Igi, só tinha autorização para comercialização no próprio município de Nova Alvorada do Sul, por meio do SIM – Serviço de Inspeção Municipal.

“Foi um longo trajeto até a conquista do Selo Arte. Quando comercializávamos apenas o leite, poucas vezes recebíamos pela qualidade, pagavam apenas pelo volume. Foi então que decidimos agregar valor ao leite e, entre o queijo e o doce de leite, optamos pelo produto mais valorizado e com menor concorrência no mercado”, explica Igi.

Segundo o presidente do Sindicato Rural de Campo Grande, Rochedo e Corguinho (SRCG), Alessandro Coelho, a meta é aumentar de forma significativa o volume de Selo Arte na região.

O leite é de vacas Girolando e Jersey (Foto: Divulgação)
O leite é de vacas Girolando e Jersey (Foto: Divulgação)

“Trabalhamos com a finalidade de democratizar o acesso ao Selo e incluir muitos mais produtores nesse processo de certificação para diferentes produtos artesanais.

O produtor ainda indica a forma mais gostosa de aproveitar seu doce de leite. “Por não ser tão doce e ser bem apurado, ele é ideal pra comer de colher, puro mesmo, mas também dá pra comer com pão, com queijo”.

Por enquanto a distribuição está sendo feita apenas para Campo Grande, em alguns estabelecimentos. Mais informações podem ser obtidas pelo número (67) 99982-5340.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário