ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  23    CAMPO GRANDE 29º

Lado Rural

Produção agrícola cresce 30,4% em 2020 e fecha em R$ 470 bi

MS tem 6 municípios entre os 50 maiores no ranking de faturamento no setor

Por José Roberto dos Santos | 23/09/2021 14:55
Entre as culturas agrícolas que mais contribuíram para o recorde da safra 2020 está a soja
Entre as culturas agrícolas que mais contribuíram para o recorde da safra 2020 está a soja

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) liberou ontem as informações do fechamento da produção agrícola de 2020, registrando um crescimento de 30,4% em relação a 2019. Em 2020, o valor da produção agrícola do país atingiu R$ 470,5 bilhões. A área plantada totalizou 83,4 milhões de hectares, 2,7% superior à do ano anterior. A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas chegou a 255,4 milhões de toneladas, 5,0% maior que a de 2019. Entre os 50 maiores faturamentos, Mato Grosso do Sul emplacou seis municípios.

Juntos, os 50 municípios com os maiores valores de produção agrícola geraram R$ 106,9 bilhões, ou 22,7% do valor total da produção agrícola do país. Vinte deles eram de Mato Grosso, seis da Bahia e seis de Mato Grosso do Sul (Maracaju,  Ponta Porã, Sidrolândia, Dourados e Rio Brilhante). Sorriso (MT) manteve a liderança, com R$ 5,3 bilhões, ou 1,1% do valor nacional. A seguir, vieram São Desidério (BA), com R$ 4,6 bilhões, e Sapezal (MT) com R$ 4,3 bilhões.

Segundo o relatório publicado pelo instituto de pesquisa, entre as culturas agrícolas que mais contribuíram para o recorde da safra 2020 está a soja, com produção de 121,8 milhões de toneladas, gerando R$ 169,1 bilhões, ou 35,0% acima do valor da safra de soja 2019.

A produção de milho cresceu 2,8%, um novo recorde, chegando a 104,0 milhões de toneladas, que geraram R$ 73,949 bilhões, 55,4% a mais do que em 2019. Pela primeira vez desde 2008, o valor de produção do milho superou o da cana de açúcar (R$ 60,8 bilhões).

A safra de café teve forte recuperação frente a 2019, com alta de 54,4% no valor da produção (R$ 27,3 bilhões). Líder do ranking mundial, a produção brasileira de café cresceu 22,9% e somou 3,7 milhões de toneladas em 2020.

Maiores produtores

Em 2020, os 50 municípios com os maiores valores da produção agrícola geraram R$ 106,9 bilhões, ou 22,7% do total do país. Destes, 20 pertenciam a Mato Grosso. A Bahia e Mato Grosso do Sul, com seis municípios cada, figuraram na sequência.

O município com o maior valor da produção agrícola foi, novamente, Sorriso (MT): R$ 5,3 bilhões, ou 1,1% do total nacional, com alta de 35,5% ante 2019. Sorriso gerou R$ 1,9 bilhão com a produção de milho, 58,3% a mais que em 2019, R$ 2,8 bilhões com a produção de soja (29,1% a mais) e R$ 454,1 milhões na produção de algodão herbáceo (em caroço).

São Desidério (BA) veio em segundo, com R$ 4,6 bilhões em valor da produção agrícola, alta de 44,6% no ano. Esse município tem o terceiro maior valor de produção de soja no país (R$ 2,5 bilhões), com alta de 76,2% no ano. O algodão, mesmo com retração na produção, gerou R$ 1,6 bilhão, o segundo maior valor entre os municípios produtores de algodão do País.

Na terceira posição no ranking de valor da produção agrícola ficou Sapezal (MT), totalizando R$ 4,3 bilhões, com alta de 26,7% no ano. As principais culturais locais são: algodão, soja, milho e feijão. O algodão herbáceo totalizou 990,2 mil toneladas, com alta de 10,7%, gerando um valor da produção recorde de R$ 2,3 bilhões. Já a produção de soja cresceu 8,0%, chegando a 1,3 milhão de toneladas e colocando o município na nona posição nacional em valor da produção desta leguminosa (R$ 1,5 bilhão).

Câmbio favoreceu recorde

Segundo ainda o relatório do IBGE, o recorde de R$ 470,5 bilhões do valor da produção da safra 2020 foi influenciado pela elevada demanda do mercado internacional e pelo câmbio favorável às exportações, colaborando para que houvesse ampliação das áreas plantadas de soja, milho e algodão, mandioca e feijão, bem como maiores investimentos nos cultivos agrícolas. A estiagem severa no início do ano, no Rio Grande do Sul, derrubou a produtividade das lavouras de soja, milho, trigo e outros, mas as condições climáticas foram bastante favoráveis no restante do país.

A área plantada totalizou 83,4 milhões de hectares, com alta de 2,7% frente a 2019. Houve alta de 3,5% na área cultivada com soja, de 3,2% na do milho e de 14,9% na do trigo. Já a área cultivada da cana-de-açúcar recuou 0,9%.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário