ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  28    CAMPO GRANDE 31º

Meio Ambiente

Com 1.045 focos no mês, Corumbá segue líder do ranking de incêndios

Por Aline dos Santos | 08/09/2012 12:38

Devido ao fogo, cidade ficou quase 24 horas sem telefonia e internet

Focos avançam pela superfície e subterrâneo. (Foto: Diário Corumbaense)
Focos avançam pela superfície e subterrâneo. (Foto: Diário Corumbaense)

Sem chuva há 70 dias, Corumbá segue na liderança do ranking nacional de incêndios no mês de setembro. De acordo com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), são 1.045 neste mês. Em segundo lugar vem o município baiano de Cotegipe, com 459 focos. Em decorrência de um incêndio, Corumbá ficou quase 24 horas sem telefonia e internet.

Desde janeiro, Corumbá registra 4.747 focos de incêndio. Desta forma, o município pantaneiro responde por 86% dos incêndios de Mato Grosso do Sul. Neste ano, o Estado registrou 5.502 focos.

Com a estiagem e o fogo de turfa (subterrâneo), a luta contra os focos é uma batalha perdida. “É uma luta inglória. Precisa chover”, afirma o coordenador estadual do Prevfogo,Márcio Ferreira Yule.

Por 16 dias, um helicóptero do Ibama entrou na guerra contra o fogo. Segundo Yule, no primeiro dia, foram feitos 300 lançamentos, com nada menos de 500 litros de água cada, em incêndio próximo à cidade, mas o fogo prevaleceu.

Além das chamas aparentes, a região, com muito material orgânico e rico em carbono, é favorável ao fogo de turfa, que percorre o subterrâneo do terreno. “De repente uma árvore verde cai, é porque o fogo atingiu as raízes”, exemplifica.

A esperança é a chuva, que, preferencialmente, não venha acompanhada de raios. As descargas elétricas, de forma costumeira, causam novos incêndios na vegetação, como na Serra do Amolar, local de difícil acesso.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário