ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SEGUNDA  17    CAMPO GRANDE 28º

Meio Ambiente

Com novo equipamento, camundongos deixam de ser usados em testes para raiva

Resultados saem mais rápido e vai preservar cerca de 8 mil animais

Por Kamila Alcântara | 08/04/2024 14:39
Equipamento de Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real, utilizado para detectar o vírus da raiva (Foto: divulgação/Iagro)
Equipamento de Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real, utilizado para detectar o vírus da raiva (Foto: divulgação/Iagro)

A partir de agora, a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) passa a utilizar a técnica de RT-qPCR (Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real) para os testes de raiva em Mato Grosso do Sul. O equipamento traz a detecção mais rápida e precisa, sem a necessidade de "prova biológica" com uso dos ratos de laboratório.

Para entender melhor, é importante lembrar que a raiva é uma doença viral fatal que afeta mamíferos, incluindo humanos, e é transmitida principalmente pela mordida de animais infectados, como cães, gatos e morcegos. O diagnóstico precoce é crucial para prevenir a propagação da doença e garantir a eficácia do tratamento.

O Laddan (Laboratório de Diagnóstico de Doenças Animais e Análise de Alimentos) é o único que realiza o diagnóstico dessa enfermidade em Mato Grosso do Sul, tendo notificado 75 casos positivos da doença em diversos mamíferos apenas no ano de 2023.

Antes, para detectar o vírus, o método consistia na colocação do material coletado de um possível infectado no cérebro do rato de laboratório e, com isso, observar o aparecimento de sintomas. Embora eficaz, esse processo era demorado, dependia de uma estrutura laboratorial complexa, além de envolver a utilização de animais, o que implicava na observância de todos os dispositivos legais do Concea (Conselho Nacional de Controle e Experimentação Animal).

Utilizando a técnica de RT-qPCR, além de substituir totalmente o uso dos ratinhos, a detecção é mais rápida e precisa, pois funciona amplificando e detectando o material genético do vírus da raiva presente na amostra, oferecendo resultados em questão de horas, em comparação com as semanas necessárias para a prova biológica.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias