ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 27º

Meio Ambiente

Empresas poderão expandir produção de peixes em MS após outorga

Por Priscilla Peres | 12/05/2017 08:50
Empresa instalada em Aparecida do Taboado. (Foto: Geneseas)
Empresa instalada em Aparecida do Taboado. (Foto: Geneseas)

Duas empresas de piscicultura que já atuam em Mato Grosso do Sul receberam outorga da União para explorar rios e aumentar a produção estadual de peixes. Juntas, elas devem instalar 554 hectares de tanques-rede para produzir até 120 mil toneladas de tilápia ao ano.

De acordo com o governo do Estado, os tanques devem ser instalados nos lagos das duas usinas entre os municípios de Aparecida do Taboado e Três Lagoas. As empresas terão que pagar outorga de R$ 2.14 milhões pelo direito de uso dos lagos por 20 anos.

A GeneSeas é especialista em aquacultura e líder no mercado brasileiro e possui frigorífico instalado em Aparecida do Taboado com capacidade para abate de 20 mil toneladas/ano. A Tilabrás está em fase de implantação do maior frigorífico de tilápia do mundo em Selvíria, com investimento de R$ 150 milhões.

Ânimo - O governo do Estado está otimista com a concessão, já que estima que MS pode saltar do 9º para o 1º lugar do ranking nacional de produção de peixes nos próximos anos.“Esses projetos redefinem o patamar da piscicultura no Estado”, pontuou Jaime Verruck, secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar.

O Paraná, atual campeão brasileiro de piscicultura, produziu 93.600 toneladas no ano passado, segundo dados do Anuário Brasileiro de Piscicultura elaborado pela Associação Brasileira de Piscicultura. Mato Grosso do Sul figurava na nona posição com 24.150 toneladas/ano.

“É um fato extremamente importante”, completou o secretário. “Essas empresas nós trouxemos ao Estado atraídas pelo programa de incentivos fiscais. Nosso foco, agora, é o encadeamento produtivo da piscicultura. Vamos buscar integrar os produtores da região e também de outras regiões do Estado.”

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário