A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017

21/10/2017 12:32

Estado vai criar incentivo a produtores que aumentarem área de preservação

Anúncio foi feito pelo governador Reinaldo Azambuja, PSDB, durante evento sobre Pantanal

Mayara Bueno, da redação, e Osvaldo Junior, de Miranda
O presidente Michel Temer e o governador Reinaldo Azambuja, no centro da foto, durante evento em Miranda. (Foto: Marcos Ermínio)O presidente Michel Temer e o governador Reinaldo Azambuja, no centro da foto, durante evento em Miranda. (Foto: Marcos Ermínio)

Durante o II Encontro Carta Caiman, neste sábado, dia 21, o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), afirmou que vai criar uma política para incentivar produtores do Estado a aumentarem a área de preservação de suas propriedades.

O presidente da República, Michel Temer (PMDB), é aguardado pelas autoridades no Refúgio Ecológico Caiman, Espaço de Cultura e Tradição Pantaneira.

A política anunciada pelo governador trata-se de uma compensação ambiental para que os produtores aumentem a área preservada, em contrapartida recebam incentivos fiscais sobre suas atividades.

Pela legislação brasileira, é obrigatório preservar uma determinada área, que deve permanecer protegida. A ideia é fazer com que este espaço preservado seja ampliado.

O Estado ainda vai avaliar como o projeto será formatado. Azambuja acredita, no entanto, que os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul devem criar uma legislação única, já que possuem as mesmas bacias.

Conforme o chefe do Executivo estadual, o PL (Projeto de Lei) 750, que dispõe sobre a política de proteção do Pantanal, prevê tal regulamentação em conjunto.

Programação - A agenda divulgada pelo Planalto previa que, ao meio-dia, o presidente participasse da Cerimônia de Encerramento do II Encontro Carta Caiman, um protocolo prevendo ações para o Pantanal em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Ainda conforme a divulgação da Presidência, às 13 horas o presidente almoça e às 15h30 volta para Brasília. A assessoria de comunicação da presidência havia dito que, antes de deixar o Estado, Temer poderia conceder entrevista à imprensa.

Em outubro de 2016, o Pantanal “passou a ser único” para as duas administrações estaduais com a criação de grupo de trabalho para discutir ações integradas para preservar o bioma e promover o desenvolvimento econômico e social na região na planície.

O documento, chamado de Carta Caiman e assinado pelos governadores Reinaldo Azambuja (PSDB) e Pedro Taques (PDT), previa prazo de 12 meses para o planejamento das medidas.

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions