A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

19/06/2018 14:43

Governo de MS avalia conceder unidades de conservação à iniciativa privada

Gerente das Unidades de Conservação afirma que governo avalia conceder serviços de turismo dentro das Unidades de Conservação

Izabela Sanchez
Parque Nacional da Serra da Bodoquena pode ter serviços concedidos à iniciativa privada (Divulgação/Icmbio)Parque Nacional da Serra da Bodoquena pode ter serviços concedidos à iniciativa privada (Divulgação/Icmbio)

O governo federal vai abrir consulta pública para definir se entrega ou não para administração da iniciativa privada o Parque Nacional de Serra da Bodoquena. Gerente das Unidades de Conservação em Mato Grosso do Sul, ligado ao Imasul ( Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), Leonardo Palma afirma que o governo de Mato Grosso do Sul vê com bons olhos, e explica que a concessão deve abranger alguns serviços, e não a totalidade do parque.

“Não se trata de privatização, é uma concessão de serviços, a privatização você repassa tudo para um terceiro, nesse caso eles estão concedendo serviço de turismo”, comenta. Leonardo também enfatiza que conservação e preservação ainda ficam sob responsabilidade do poder público.

Segundo explicou, o governo de Mato Grosso do Sul também estuda conceder algumas unidades à iniciativa privada.

“Jamais é concedido a proteção e fiscalização. Toda a concessão ela é acompanhada pelo conselho consultivo da unidade, formada por entidades públicas, privadas e sociedade civil, e vão acompanhando como está a prestação de serviço. Essa reunião do dia 28 convocaram o conselho pra participar, o Imasul tem uma cadeira”, explicou.

Segundo a organização Instituto Euromonitor International, especializada em análise de mercado, cerca de 8,6 milhões de pessoas deverão visitar os Parques Nacionais brasileiros em 2018, um incremento de aproximadamente 11% com relação ao ano passado. Em 2017 119.133 pessoas visitaram as Unidades de Conservação em Mato Grosso do Sul.

Para o gerente, a concessão de serviços é uma estratégia. “O poder público é muito moroso em alguns tipos de serviço, e quando você concede os serviços são prestados com mais qualidade, fica para o poder público somente o que interessa”, afirmou.

A unidade de conservação de 77.021,58 hectares foi criada em 21 de setembro de 2000 com o objetivo de proteger o Cerrado. A área de preservação de gestão federal tem território em Bodoquena, Bonito, Jardim e Porto Murtinho.

A União lançou nesta segunda-feira (18) um plano de incentivo ao turismo em unidades de conservação do País abrindo a possibilidade de concessão de sete parques nacionais. A expectativa é arrecadar R$ 930 milhões com a iniciativa, segundo apurou o Estadão.

Dentre as áreas, estão os parques nacionais da Chapada do Veadeiros, no Cerrado de Goiás, e do Pau-Brasil, na Mata Atlântica da Bahia, cujos editais para a privatização já estão até prontos.

Já para decidir se concede para administração e exploração os parques de Itatiaia (que estende por RJ, SP e MG), Caparaó (na divisa entre MG e ES), Lençóis Maranhenses (MA) e Jericoacoara (CE), além da Serra da Bodoquena, o governo ainda fará a consulta pública.

Em 2017 serviços de dois Parques Nacionais foram entregues à iniciativa privada para aumento do turismo, os parques nacionais de Brasília, no Distrito Federal, e do Pau Brasil, em Porto Seguro, na Bahia.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions