ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUARTA  15    CAMPO GRANDE 18º

Meio Ambiente

Para diretor do Ibama, Código Florestal pode ser o fim do Pantanal

Por Aline dos Santos | 03/06/2011 13:00
Superintendente do Ibama defende desmatamento zero no Pantanal. (Foto: João Garrigó)
Superintendente do Ibama defende desmatamento zero no Pantanal. (Foto: João Garrigó)

Já aprovado na Câmara Federal e à espera do aval do Senado, o Código Florestal é considerado uma ameaça ao Pantanal. O alerta parte do superintendente do Ibama/MS (Instituto Brasileiro do meio Ambiente e dos Recursos Naturais), David Lourenço.

Segundo ele, o bioma está 85% preservado, mas a nova legislação permite devastar mais 50% da região pantaneira. “É o fim do Pantanal”, avalia.

Segundo ele, a pecuária de corte como praticada hoje é sustentável, mas o avanço da tecnologia no campo se mostra prejudicial ao ecossistema.

“Estão removendo a vegetação arbustiva e plantando pastagem, como a braquiária”, afirma. Conforme o superintendente, aumentou o numero de autuações por desmatamento em Corumbá, Porto Murinho e Aquidauana.

Segundo ele, fatores como o cultivo de eucalipto e cana de açúcar em outras regiões do Estado faz a pecuária migrar para o Pantanal. Outro atrativo é o preço da terra.

“Por exemplo, se um hectare custa R$ 10 mil na região Sul do Estado, vai custar R$ 3 mil no Planalto e R$ 500 no Pantanal”, enfatiza.

Para Lourenço, o Pantanal precisa de legislação específica, que determine desmatamento zero.

O projeto do novo Código Florestal foi aprovado na terça-feira da semana passada e agora segue para o Senado, onde passará pela das comissões de Agricultura, de Constituição e Justiça e de Meio Ambiente antes de ser votado.

Caso aprovado segue para sanção presidencial e se houver emendas a matéria volta à Câmara dos Deputados.