ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 19º

Meio Ambiente

Poda de árvore sem autorização pode gerar multa de até 5 mil

Por Viviane Oliveira | 19/02/2013 09:29
Professor Geraldo diz que o ideal é plantar árvores do Cerrado. (Fotos: Simão Nogueira)
Professor Geraldo diz que o ideal é plantar árvores do Cerrado. (Fotos: Simão Nogueira)
Árvore mutiladas na rua José Soares Dias, no bairro União.
Árvore mutiladas na rua José Soares Dias, no bairro União.

Fazer poda radical ou remover uma árvore sem autorização é considerado crime ambiental. A multa vai de R$ 680 a R$ 5,2 mil e varia conforme a espécie. Apesar de a Capital ser arborizada, basta dar uma volta na cidade para ver a quantidade de árvores que foram mutiladas ou podadas sem nenhuma técnica.

Em novembro do ano passado a poda radical de um ipê na avenida Mato Grosso gerou polêmica nas redes sociais. Internautas postaram fotos da árvore antes da poda, mostrando que os galhos atrapalhavam a visão do painel eletrônico e, depois, com o corte da árvore e equipamento à mostra. A repercussão foi tanta que a Prefeitura denunciou e, o caso foi parar na Polícia.

De acordo com a delegada da Decat (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e Proteção aos Turistas), Rozeman Geise Rodrigues de Paula, a poda radical também pode render processo judicial. “Além da multa aplicada pela Prefeitura, a pessoa responde perante a justiça”, afirma.

Mas o que fazer com uma árvore que ameaça cair ou está atrapalhando a rede de energia elétrica? O professor de botânica da UFMS (Universidade Federal do Mato Grosso do Sul), Geraldo Alves Damasceno Júnior, explica que na maioria das vezes a árvore que sofre uma poda radical rebrota.

No entanto uma poda mal feita ou a mutilação da copa aumenta a chance de uma árvore cair e causar danos. Segundo o professor, a melhor época para fazer a poda, que deve ser realizada por uma empresa ou pessoa especializada, é em períodos mais secos, de maio a agosto. Já quem pretende remover uma árvore precisa ter autorização da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano).

Na rua da Pátria, árvores da espécie fícus foram mutiladas. Estas plantas não são recomendadas para serem utilizadas em arborização urbana.
Na rua da Pátria, árvores da espécie fícus foram mutiladas. Estas plantas não são recomendadas para serem utilizadas em arborização urbana.
Dona Cleuza tem orgulho de mostrar a árvore ‘Dama da Noite’ que em 19 anos nunca precisou ser podada.
Dona Cleuza tem orgulho de mostrar a árvore ‘Dama da Noite’ que em 19 anos nunca precisou ser podada.

“No período chuvoso a exposição do corte pode ser contaminado com fungos e bactérias resultando no apodrecimento da planta. O cupim aproveita o lenho previamente apodrecido pelos fungos para se alojar nas árvores”, explica.

Antes de plantar uma árvore, recomenda o professor, a pessoa deve escolher uma espécie baixa que podem ser plantada abaixo do fio elétrico e com poucas raízes para não danificar calçadas e nem muros.

Depois de 18 anos a aposentada Erailda Maria da Costa, 68 anos, teve que se desfazer de uma árvore da espécie fícus, que não é recomendada para ser utilizada na arborização urbana. A planta provoca estrago em calçadas e tubulações.

“Esta planta busca água onde tiver, não adianta colocar mureta para impedir que as raízes aumentem”, destaca o professor. O plantio desse tipo de espécie é recomendado somente em áreas isoladas, como jardins extensos e fazendas.

O ideal seria plantar árvore do Cerrado”, aconselha o professor. A pessoa pode optar por ipês, cedro, oiti ou mudas de árvores frutíferas como, por exemplo, acerola, pitanga e jaboticaba.

Sem poda – A lojista Cleuza Salvá Mosca, de 61 anos, tem orgulho de mostrar a árvore que fica em frente de casa. Segundo ela, a planta que se chama ‘Dama da Noite’ tem mais de 19 anos e nunca precisou ser podada. “Além de dar flores e sombra, ela não atrapalha a fiação elétrica", finaliza.

O telefone da Semadur para solicitar remoção de árvore que ameaça a cair ou está atrapalhando a rede de energia elétrica é 156. 

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário