ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SÁBADO  13    CAMPO GRANDE 30º

Meio Ambiente

Rio Paraguai deve ter seca histórica após meses com pouca chuva

Previsão é de chuva 30% menor no próximo trimestre em Mato Grosso do Sul

Por Geniffer Valeriano | 01/03/2024 15:29
Rio Paraguai presente em  Corumbá (Foto: Divulgação Prefeitura de Corumbá)
Rio Paraguai presente em  Corumbá (Foto: Divulgação Prefeitura de Corumbá)

Com previsão de chuva 30% menor nos próximos três meses, o Pantanal pode ter a pior seca da história por conta da estiagem. Conforme o SGB (Serviço Geológico do Brasil), nas estações de Ladário e Porto Murtinho o nível do Rio Paraguai já está, aproximadamente, 1,30 m e 1,50 m abaixo do esperado para este período do ano.

Os modelos de previsão sazonal indicam que não deve haver chuvas que compensem as perdas até setembro. Desde outubro de 2023 o acumulado de chuvas está em 450 mm, mas a média normal é de aproximadamente 1.100 mm. Mesmo que comece a chover normalmente agora, entre março a setembro, o acúmulo não deve ultrapassar 830 mm.

“Caso as chuvas nos meses de março a setembro ocorram dentro da média, o cenário irá se aproximar da seca de 2020, ano que o Pantanal enfrentou uma seca severa e registrou na estação de Ladário a cota mínima de -0,32 m. Já se as chuvas ocorram abaixo da normalidade nos próximos meses, cenários mais críticos poderão ser observados”, explicou o pesquisador em geociências, Marcus Suassuna.

Baseadas nos registros históricos de anos semelhantes, às projeções sugerem que em 2024 o Rio Paraguai, em Ladário, alcançará a cota máxima anual de aproximadamente  1,50 m no pico da cheia, em junho.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

“Seria um ano sem uma enchente, o que ocorre quando o rio ultrapassa a cota de 4,0 m, considerada pela população local. Esse mesmo cenário indica que o rio pode se aproximar da cota de -30 na época no pico da vazante”, relatou.

Porém, a preocupação maior é no caso das chuvas ficarem abaixo da média. Nessa situação, seria possível que o cenário fosse semelhante aos anos de 1964, 1971 ou 2021, período em que foram registradas secas históricas e prolongadas.

Além da chuva, o índice de seca leva em consideração a umidade do solo e o estado da vegetação. Marcus afirma que a baixa vazão imediata do Rio Paraguai tem sido causada pela pouca chuva e as altas temperaturas.

O baixo nível do rio foi registrado na calha principal e nos afluentes do rio. As informações foram apresentadas no Boletim Extraordinário com Prognóstico de Médio Prazo da Bacia do Rio Paraguai.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.


Nos siga no Google Notícias