ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, QUINTA  18    CAMPO GRANDE 16º

Meio Ambiente

Pescadores voltam ao Rio Paraná e encontram nível abaixo do normal

Algas prejudicam diretamente a captura dos peixes

Por Kamila Alcântara | 29/02/2024 18:48

Com o fim da piracema, os pescadores profissionais retornaram às atividades no Rio Paraná, nesta quinta-feira (29), mas encontraram leito muito abaixo do nível esperado e as iscas capturaram apenas algas. Registros da situação foram feitos próximos da Usina Hidrelétrica de Porto Primavera - Engenheiro Sérgio Motta, na região de Batayporã.

Conforme relata a pescadora Maria Poliano, que vive da pesca comercial de peixes há 40 anos e é representante dos profissionais da região, a cada ano que passa a situação está piorando e eles não conseguem enxergar solução. “Essas algas ficam nas margens, mas com o rio secando elas aparecem na área de pesca e prejudicam a captura. Próximo à usina conseguimos enxergar as rochas que antes estavam no fundo. Parece que não estão nos ouvindo e será tarde demais”, desabafa Maria.

Ao Campo Grande News, a Cesp (Companhia Energética de São Paulo), informa que a UHE Porto Primavera opera em regime fio d’água, ou seja, seu reservatório não exerce a função de acumulação do rio e a usina opera conforme as vazões que chegam (vazões afluentes) até o reservatório. A companhia esclarece ainda que a toda operação, incluindo a de vazão defluente, segue determinação do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), responsável por coordenar a operação das hidrelétricas em todo o país e que a vazão atualmente praticada se encontra em valores normais de acordo com o histórico operacional da usina.

Outra denúncia da pescadora é com relação a captura de dourado na região do Rio Dourado e Ivinhema, que deságuam no Paraná. “A lei proíbe e mesmo assim teve gente tirando sete dourados do rio. Esperamos que vejam essa situação de perto”, conclui a pescadora.

Desde 2020, só é permitido ao pescador levar um exemplar de peixes de espécie nativa (por exemplo: pacu, pintado, cachara, jaú, dentre outros), além de cinco exemplares de piranhas, dentro das medidas mínima e máxima. Se a espécie pescada estiver fora dos tamanhos permitidos, deve ser solta imediatamente no local.

Direto das ruas - A imagem chegou pelo Direto das Ruas, o canal de interação dos leitores com o Campo Grande News. Quem tiver flagrantes, sugestões, notícias, áudios, fotos e vídeos pode colaborar no WhatsApp pelo número (67) 99669-9563.

 Clique aqui e envie agora uma sugestão.

Para que sua imagem tenha mais qualidade, orientamos que fotos e vídeos sejam feitos com o celular na posição horizontal. Receba as principais notícias pelo celular.

Nos siga no Google Notícias