A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

30/08/2013 18:46

“O que não pode é postos ficarem sujos”, diz Bernal, para justificar ato ilegal

Zemil Rocha e Elverson Cardozo
Prefeito da Capital nega que haja ilegalidade no ato de nomeação (Foto: João Garrigó)Prefeito da Capital nega que haja ilegalidade no ato de nomeação (Foto: João Garrigó)

O prefeito Alcides Bernal (PP) ficou irritado ao ser questionado sobre a inconstitucionalidade da nomeação de 265 faxineiros, que eram contratados pela MegaServ, para cargos de confiança na Secretaria Municipal de Saúde, a fim de continuarem a limpeza nas unidades de saúde da Capital.

“Você é jurista?”, indagou Bernal ao repórter do Campo Grande News, que questionou a constitucionalidade da medida publicada hoje no Diário Oficial de Campo Grande (Diogrande). “Não sou jornalista”, respondeu o profissional da imprensa.

Após essa animosidade, o prefeito Alcides Bernal respondeu à pergunta sobre infringência ao Art. 37, V, da Constituição Federal, a Lei Maior do País: “O que não pode é postos de saúde ficarem sujos”. Em seguida, negou que haja qualquer ilegalidade. “Todos foram contratados dentro da legalidade”.

Até o dia 27 de agosto, o serviço de limpeza das unidades de saúde de Campo Grande eram realizados pela empresa MegaServ, de Dourados, que ganhou um contrato emergencial de R$ 4,4 milhões por 180 dias, a contar de 1º de março. No dia em que venceu o contrato, a MegaServ ofereceu o menor preço (40% de deságio) para um contrato anual de R$ 15 millhões, valor contestado por outras empresas que o consideraram “impraticável”.

Como o processo licitatório ainda não foi concluído, em razão dos protestos das empresas concorrentes, a MegaServ rescindiu ontem os contratos de emprego com 265 funcionários de Campo Grande, que hoje foram contratados pelo prefeito Alcides Bernal para o cargo de Assessor III, símbolo DCA-9, cujo salário é de R$ 622,89, mais gratificação de até 80%.

O favorecimento à MegaServ é investigado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Calote, da Câmara de Campo Grande, que está em fase de elaboração do seu relatório final.

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions