A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

02/10/2015 21:57

A falta do título de eleitor dificulta a coleta de assinaturas por menor salário

Antonio Marques
Vereadores tem salário líquido de pouco mais de R$ 11 mil (Foto:divulgação)Vereadores tem salário líquido de pouco mais de R$ 11 mil (Foto:divulgação)

O movimento pela redução dos salários dos vereadores de Campo Grande já coletou 22,4% das 29 mil assinaturas necessárias para apresentação de um projeto de lei de iniciativa popular na Câmara Municipal. Até o momento foram pouco mais de 6,5 mil pessoas que deram apoio ao projeto. Conforme o coordenador da iniciativa, fisioterapeuta Denis Pereira da Silva, 23 anos, a maior dificuldade no momento é o fato de as pessoas não carregaram o título de eleitor.

Denis Pereira afirma que a população tem demosntrado apoio o movimento, mas deixam de assinar o documento “por não estarem com o título de eleitor em mãos no momento, o que é necessário”, lembra ele. Quem quiser colaborar e não pode ir na praça ou nos pontos de coleta, pode acessar a página do movimento no Facebook e baixar o formulário para colher assinaturas.


No próximo domingo, 4, os voluntários do movimento pela redução dos salários dos vereadores vão estar novamente na Praça do Rádio Clube, das 14 às 18 horas, dando continuidade à campanha em busca das 22.500 assinaturas que ainda restam para dar entrada com o projeto de lei na Câmara Municipal.

Para apresentar o projeto de lei de iniciativa popular énecessário colher assinaturas de 5% dos eleitores da Capital, cerca de 29 mil pessoas devem apoiar, assinando o pedido para reduzir os salários dos parlamentares. “Não é dificil basta que façamos juntos. Dessa forma vamos ajudar os eleitos a trabalharem e mostraremos que nós, os patrões não estamos satisfeitos”, reiterou o fisioterapeuta.

Conforme o movimento de Campo Grande, seria usada o sistema de meritocracia, ou seja, os parlamentares teriam que cumprir exigências para obter melhores vencimentos, como 100% de presença nas sessões, propostas de projetos de lei que respondam aos anseios do povo.

Para o coordenador do movimento na Capital, os salários devem variar conforme a escolaridade dos vereadores. Aqueles com ensino fundamental, até o nível médio os vencimentos seriam entre R$ 1.500,00 a R$ 2.500,00; os parlamentares com nível superior, o valor pode variar de R$ 3.300,00 a R$ 5.500,00. Para atingir o maior valor na variação, eles devem cumprir as regras estabelecidas na meritocaracia.

O vereador da Capital recebe R$ 15.031,76, valor bruto, com descontos, o vencimento médio líquido fica em R$ 11.500,00, mais a verba de gabinete no valor aproximado de R$ 8,4 mil, além das assessorias parlamentares. Já o prefeito tem um subsídio de R$ 20.412,42 mensal.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions