ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEXTA  27    CAMPO GRANDE 29º

Política

Acusado de improbidade, Leandro Bortolazzi corre risco de ter registro cassado

Justiça Eleitoral avaliará a denúncia de que ele se beneficiou de contrato com o poder público enquanto era servidor

Por Gabriel Neris | 01/10/2020 13:59
Bioquímico Leandro Bortolazzi, candidato do MDB (Foto: MS Todo Dia)
Bioquímico Leandro Bortolazzi, candidato do MDB (Foto: MS Todo Dia)

Leandro Bortolazzi (MDB) corre o risco de perder o direito de continuar disputando a eleição para prefeito de Costa Rica, a 305 km de Campo Grande, acusado de cometer irregularidade enquanto era servidor público na prefeitura.

A Justiça Eleitoral avaliará a denúncia de que Leandro era sócio-administrador de uma empresa enquanto exercia o cargo de bioquímico do Serviço de Abastecimento de Água e Esgoto).

De acordo com a denúncia, a empresa de Leandro teria se beneficiado de contrato de R$ 157,5 mil, conforme publicado no Diário Oficial, mas por lei esse tipo de contrato é ilegal, considerando que o candidato a prefeito recebia salário como servidor público.

O candidato também é investigado por não ter se afastado no prazo previsto, de seis meses antes das eleições.

A denúncia foi protocolada pela coligação Costa Rica Para Todos Nós, composta por PP, PSDB e PSD. A coligação pediu ainda a demissão de Leandro do cargo por improbidade administrativa.

A defesa de Leandro Bortolazzi nega que ele tenha contrato com a prefeitura e informou que a candidatura dele foi deferida pelo TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral). Ainda segundo a defesa do candidato, o recurso eleitoral contra o candidato, protocolado dentro do prazo, tem matéria preclusa e por esse motivo não foi conhecida pela Justiça Eleitoral de Costa Rica.

O prefeito de Costa Rica, Waldeli dos Santos Rosa, informou que se receber a denúncia, determinará apuração do fato e as punições cabíveis, em caso de irregularidades.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário