A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

14/06/2017 11:51

Após quase dois anos na Assembleia, "Lei Harfouche" está parada na CCJ

Projeto deveria ser analisado nesta semana, mas reunião do grupo foi cancelada

Mayara Bueno e Leonardo Rocha

Atualmente na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), a “Lei Harfouche”, que prevê punições em casos de indisciplina e vandalismo nas escolas, ficará parada por pelo menos duas semanas no colegiado. Isto porque a reunião semanal do grupo, na qual o projeto de lei seria distribuído, prevista para terça-feira (13), não ocorreu.

Portanto, só na terça-feira (20) é que o relator do projeto, deputado Beto Pereira (PSDB), terá acesso à proposta e na semana seguinte apresentará o parecer. O parlamentar propõe também a apresentação de uma emenda incluindo as escolas particulares.

O projeto tramitando na Assembleia há quase dois anos, pois foi apresentado em 29 de setembro de 2015. O autor da demanda, deputado Lídio Lopes (PEN), minimizou a demora, afirmando que “é preciso analisar” para depois votar.

Até então, a proposta já tinha sido aprovada em primeira votação, ou seja, quando é analisado se a medida é constitucional. Na ocasião da segunda análise, a matéria parou depois de polêmica e confusão entre defensores e contrários à medida.

O projeto está de volta à CCJ, pois oito deputados apresentaram emenda para retirar "Lei Harfouche" do título (nome do procurador de Justiça, Sérgio Harfouche, quem sugeriu a proposta). 

Além disso, vai analisar se vai incluir as instituições de ensino privadas. Uma proposta que engloba escolas municipais foi aprovada pela Câmara Municipal há dois anos.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions