ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUINTA  19    CAMPO GRANDE 

Política

Bancada de MS elege saúde e educação como prioridades no Orçamento de 2014

Por Leonardo Rocha | 29/11/2013 12:11
Moka destaca que valores "inflados" já antecipam os cortes feitos pela União (Foto: Divulgação)
Moka destaca que valores "inflados" já antecipam os cortes feitos pela União (Foto: Divulgação)

A bancada federal de Mato Grosso do Sul destinou a maioria das emendas ao Orçamento de 2014 da União para os setores da saúde e educação. Os deputados e senadores também incluíram outros temas importantes como transporte e infraestrutura.

Foram 15 emendas apresentadas, totalizando R$ 2,35 bilhões. Sendo oito para saúde e educação, que representa R$ 950 milhões em investimento.

O coordenador da bancada, o senador Waldemir Moka (PMDB), destacou que os valores das emendas são “inflados” porque eles já contam com os cortes da União.

“O valor de cada emenda, em geral, cai em cerca de 70%, pois os sub-relatores trabalham com programação e acabam fazendo cortes lineares”, desatacou ele.

Para a área de infraestrutura, as emendas terão como objetivo viabilizar obras para contenção de enchentes, pavimentação das ruas e saneamento básico. Entre estas prioridades, está a destinação de recurso para a recuperação da bacia do Rio Taquari.

Ao transporte, o enfoque dos parlamentares foi na manutenção das rodovias federais que passam pelo Estado, além das obras da rodovia Sul - Fronteira, entre os municípios de Ponta Porã e Mundo Novo.

A bancada federal de Mato Grosso do Sul possui 11 integrantes, cada um pode indicar até 25 emendas, no valor de R$ 15 milhões. As emendas individuais por envolverem menos recursos podem ser executadas de forma integral, mas as coletivas podem sofrer cortes.

Nos siga no Google Notícias