A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

08/08/2013 18:00

Bernal pode enfrentar 2ª CPI se empresa suspeita não explicar contrato

Lidiane Kober
Vereadores ameaçaram instalar nova CPI contra Bernal (Foto: Marcos Ermínio)Vereadores ameaçaram instalar nova CPI contra Bernal (Foto: Marcos Ermínio)

O prefeito Alcides Bernal (PP) pode ser alvo de nova investigação na Câmara Municipal se os proprietários da Salute, Érico Chezini Barreto e Aldoir Luís Czizeski, ignorarem segunda convocação da CPI do Calote para esclarecer contrato suspeito, no valor de R$ 4,3 milhões, fechado com a Prefeitura de Campo Grande.

“Se eles não aparecerem na segunda-feira (12), na terça (13) abrimos a CPI da Salute”, anunciou o presidente da CPI do Calote, vereador Paulo Siufi (PMDB). A sugestão partiu do relator da comissão, vereador Elizeu Dionísio (PSL), após os empresários faltarem à oitiva nesta quinta-feira (8).

Para eles, a convocação é um “equívoco” da comissão porque “a prefeitura não teria dívidas com a Salute”. A justificativa indignou os parlamentares. “É muita petulância a empresa querer pautar a CPI. Vamos dar uma nova chance a eles, mas se não comparecerem na terça apresento requerimento para instalar a CPI da Salute”, avisou o relator.

Criada em 1º de abril deste ano com capital social de R$ 50 mil, a microempresa abocanhou contrato emergencial no valor de R$ 4,3 milhões com a prefeitura. Desconfiados com o fato de uma empresa recém-criada superar atacadistas tradicionais no ramo alimentício, os vereadores foram três vezes à sede da Salute, mas não encontraram nada. “Nem alma viva, nem fantasmas”, comentou Siufi.

A ausência na oitiva de hoje só aumentou as suspeitas dos vereadores. “Hoje, acredito que isso foi uma estratégia para esconder possíveis irregularidades”, disse Dionízio. Além dele e Siufi, o vereador Otávio Trad (PMDB) também adiantou apoio à instalação da CPI da Salute.

Panos quentes - Presentes na oitiva de hoje, o secretário municipal de Planejamento, Wanderley Ben Hur, e o procurador-geral Luiz Carlos Santini colocaram panos quentes nas suspeitas da CPI. “Eles estão usando termos indevidos”, disse Ben Hur sobre a acusação de a empresa ser de fachada.

Para ele, a Salute está regular, caso contrário “não teria conseguido inscrição estadual”. “Eles cumpriram todos os requesitos”, disse. O secretário ainda pontuou que “existe uma série de questões” para justificar a ausência dos empresários na sede. “Cada um tem o seu horário”, ponderou.

Santini aproveitou para defender contratos com microempresas como meio de incentivar “novas riquezas”. “A lei dá preferência a elas, até mesmo quando apresentarem preços 10% superior aos das grandes empresas”, destacou.

Indagado sobre como a Salute conseguiu apresentar preços bem abaixo do mercado, o procurador disse que “há 10 trabalha com licitação e conheço muito a malandragem do superfaturamento que colocam nas propostas”.



Engraçado é tão fácil colocar o Bernal na mira das CPI. Então porque será que as cassações dos vereadores viraram tudo em pizza? Só o prefeito é que está errado mesmo. Acorda população, os vereadores também estão nos fazendo de idiotas.
 
renata da silva em 08/08/2013 21:44:51
FORA BERNAL VOCE JÁ DEU MUITA DOR DE CABEÇA PARA NOSSA POPULAÇÃO!
 
ELY MONTEIRO em 08/08/2013 19:26:24
É isso ai mesmo digníssimo siufi, todo esse engodo em torno do Bernal é para desviar a atenção do povo para a CPI do assassino do seu tio que é o cabeça da máfia do câncer. Pode ter certeza de que o que esse bernal está fazendo não chega a 1 por cento do que o seu tio fez, e o que é pior, contra gente que já vem sofrendo com essa doença tão desgraçada.
 
Julio Martini em 08/08/2013 18:22:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions