A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

22/10/2013 18:53

Biffi defende Bernal, mas vê a Capital "virando uma nova Dourados"

Zemil Rocha
BiffiBiffi

O deputado federal Antônio Carlos Biffi (PT) afirmou esta tarde que Campo Grande está “virando uma nova Dourados”, referindo-se à crise política que atingiu a gestão do prefeito Alcides Bernal (PP) e comparando-a com a que provocou a cassação de Ari Artuzi, depois das operações Owari e Urugano, desencadeadas a partir de 2009. Assim como Artuzi, Bernal é acusado acusado de fraudes em licitações.

“Aquele processo do Ari, estamos vendo aqui. É o mesmo filme. Aqueles que perderam as eleições querem tomar a administração e isso é ruim para todos nós. E não falo apenas como deputado federal do Estado, mas como cidadão de Campo Grande”, afirmou Biffi.

Indagado sobre o que o PT deveria fazer em relação à gestão Bernal, Biffi defendeu a manutenção do apoio a Bernal. “Minha posição é de que o partido, as forças políticas que se contrapuseram ao projeto do PMDB deveriam fazer esforço muito grande para permitir que Bernal continuasse administrando a cidade. Esse é o sentimento da maioria do povo. Campo Grande está paralisada. Esse clima de cassa, não cassa só interessa à oposição que perdeu as eleições e é muito ruim para Campo Grande. Vamos perder projetos, recursos”, afirmou o parlamentar petista.

Questionado se a reunião da Executiva Municipal do PT com bancada da Câmara da Capital, composta pelos vereadores Zeca do PT, Marcos Alex e Ayrton Araujo, pode determinar o rompimento com Bernal, Biffi demonstrou descrença. “Não tem essa de romper. Essa é uma decisão maior”, afirmou o dirigente.

Para Biffi, o PT deve ter claro que o PMDB está por traz da Comissão Processante contra Bernal e do risco de judicialização da administração municipal. “Lamento a situação que se encontra Campo Grande. Tenho entendimento de que esse processo é o terceiro turno das eleições. Quem perdeu, não se contenta e quer derrotar Bernal de todo jeito”, apontou o petista, embora, admitindo, que Bernal em alguns “problemas internos”. O PT, na avaliação dele, tem de ter o “entendimento de que vitória do Bernal foi importante para interromper ciclo de mando do PMDB na Capital”.

Indagado se não seria o momento de Bernal atender ao PT e fazer um governo de coalizão, Biffi ponderou: “Fazer governo de coalizão é problema dele. Temos nossa visão e ele tem a dele. Quem ganhou a eleição foi ele. Bernal faz o que bem entender. A nós do PT cabe sair de lá ou permanecer”.

 

 




Para mim Dourados e Campo Grande são duas coisas completamente distintas. La houve desvio de dinheiro e pagamentos de propina, todo devidamente filmado (que um juiz acha que isso não é prova por ser feito sem autorização não importa, o teor das conversas era bem claro). Em Campo Grande a população votou prefeito X, mas deu 2/3 da Camara a partido Y, inimigo do X. E para piorar: o prefeito, um novato inexperiente, não sabe lidar com a situação, não arruma o secretariado e ignora que precisa de uma base. Mas a maioria das licitações e outros problemas (coleta de lixo, RDM, desvio de dinheiro da saude, asfalto como consistência de açucar, inspeção veicular, despejo da Camara) sao problemas da administração anterior Mas todo bom, para mim o Azambuja teria sido eleito, não votei em Bernal mesmo
 
Marcos da Silva em 23/10/2013 00:04:12
Até que enfim algum político falou algo que muitos moradores de Campo Grande compartilha. Muitos ainda não perceberam que nessa guerra quem perde é o povo campo-grandense, nossa cidade está sofrendo as consequências. É preciso saber ganhar e perder...
 
Eliane Silva em 22/10/2013 21:01:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions