A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

09/01/2013 10:48

Câmara de Campo Grande vai pagar salário para 30 vereadores em 2013

Aline dos Santos
Thaís Helena foi escolhida por  Bernal para comandar a SAS. (Foto: Luciano Muta)Thaís Helena foi escolhida por Bernal para comandar a SAS. (Foto: Luciano Muta)

A Câmara de Campo Grande vai pagar salário a 30 vereadores a partir da posse do suplente Marcos Alex (PT). O Legislativo, que a partir deste ano aumentou de 21 para 29 parlamentares, terá mais um nome na folha de pagamento porque a vereadora Thaís Helena Vieira Rosa Gomes (PT) pediu afastamento da Câmara para assumir a SAS (Secretaria Municipal de Políticas e Ações Sociais e Cidadania). No entanto,  continuará a receber salário de vereadora.

Com o reajuste aprovado no mês passado, o salário de vereador ficou fixado em R$ 15 mil. Já a remuneração para secretário municipal é de R$ 11.619,70.

Thaís Helena receberá somente como vereadora. “Assim como o Mário César é pago pela prefeitura. E o Lídio [ex-vereador] recebia pelo Tribunal de Contas. O afastamento é com ônus para origem”, afirma Thaís Helena sobre a opção de continuar a ser paga pelo Legislativo.

De acordo com o procurador da Câmara, André Scaff, o afastamento está previsto na LOM (Lei Orgânica do Município) e na Constituição Federal. “A Câmara vai pagar mais um salário”, explica. A vereadora não terá direito às demais verbas, que ficam destinadas ao novo parlamentar.

O pedido e a autorização do afastamento de Thaís Helena foram publicados hoje no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande). A nomeação da nova secretária deve ser oficializada amanhã. Com a escolha da petista para a SAS, o prefeito Alcides Bernal (PP) abriu caminho para Marcos Alex, que será o o seu líder na Câmara.

A relação de Bernal com os vereadores, até então, tem sido de turbulência. O prefeito não conseguiu emplacar o presidente do Legislativo. Rosiane Modesto (PSDB), candidata de Bernal, foi derrotada por 20 votos a nove e o comando da Câmara ficou com Mário César.



TRISTEZA.....
 
Angela Annes em 10/01/2013 17:24:28
Isso é pior do que roubo a mão armada.
 
Wilson Soares em 10/01/2013 09:47:35
Ganhar sem trabalhar. Que teta!!!! E ela ainda tem coragem de fazer o discurso da moralidade.
 
Almir Farias da Cunha em 10/01/2013 09:15:28
Tem cada coisa muito estranha!! Deveria existir um dispositivo na lei que impedisse esse tipo de situação. Já começa que a pessoa se candidata prometendo trabalhar no legislativo em prol da população elaborando e apresentado emendas com essa finalidade. Passa a eleição começa esse negocio de assumir outros compromissos. Mas não ganhou eleição para vereador, deputado, senador? Entao deveria a lei mandar abdicar do cargo. E ainda mais estranho é continuar recebendo salario como vereador e secretário.
 
Valter Castilho em 10/01/2013 08:24:21
É um absurdo, pois se ela vai assumir uma secretaria ela deve receber pelo atual cargo e não como vereadora... é por isso que o nosso país esta assim, quando ele poderia estar muito melhor, pois todos sabem o tamanho do potencial que tem o nosso país...
 
Daniela Bogarim em 09/01/2013 21:17:36
A única discrepância que eu vejo aí.. é o salário de vereador!! Ele, como sabido, está acima da realidade do brasileiro e inclusive do mundo.

Solução:
- Concurso público para poder se candidatar, válido por 4 anos.
- Pleblicito para assuntos de "causa própria" referentes aos nossos governantes e legisladores.
 
Carlos Bitencourt em 09/01/2013 13:35:46
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions