A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

17/06/2011 11:22

Caso Campinas respinga em publicitários que atuaram em governos de MS

Fabiano Arruda

As investigações de desvio de verbas públicas que atingiram o primeiro-escalão da prefeitura de Campinas (SP) chegam agora aos publicitários Armando Peralta Barbosa e Giovane Favieri, antigos donos da produtora VBC, que atuou nos governos de Pedro Pedrossian, Wilson Barbosa Martins e Zeca do PT em Mato Grosso do Sul.

É o que consta em matéria publicada pela Agência Estado nesta sexta-feira. O deputado estadual Major Olímpio (PDT) apresentou requerimento ao Legislativo de São Paulo para investigar o processo de licitação que levou a Assembleia paulista a assinar um contrato milionário para a digitalização do acervo da TV.

A publicação relata que Favieri, acusado de participar de um suposto desvio de R$ 30 milhões do governo de Mato Grosso do Sul no governo Zeca do PT, é dono da Rentalcine, a empresa que venceu a licitação na Assembleia paulista, em setembro do ano passado. O Legislativo vai pagar à empresa R$ 7,6 milhões pelo trabalho na TV do Legislativo paulista.

A Rentalcine participou da licitação com outras duas empresas, Luaxe e América. Esta última presta serviços para a TV Alesp desde 2009. Informações apuradas pela Agência Estado dão conta que, embora não conste como sócio da empresa, Favieri é o real dono da América e dá as ordens na empresa.

A matéria ainda constata que o representante legal da América é Claudinei Eufrásio Barbosa, que foi diretor financeiro da agência de publicidade de Favieri acusada de participar do desvio milionário em Mato Grosso do Sul.

Segundo os promotores, a agência intermediava a venda de notas fiscais de serviços superfaturados ou que não eram sequer executados. Na denúncia, os promotores afirmam que a agência ficava com 15% dos pagamentos do governo por serviços publicitários que não existiam.

Contraponto - Do outro lado, o departamento de Comunicação da Assembleia Legislativa paulista garantiu, ao Estadão, que "a licitação e a contratação cumpriram todos os requisitos e exigências legais".

Já Giovane Favieri negou ter qualquer relação com a América. "Conheço o dono, porque todo mundo se conhece, mas não tenho nenhuma relação", afirmou.

Escândalo - Além dos publicitários que atuaram no Estado, as investigações em Campinas nos últimos meses atingiram a “República de MS”. Na quarta-feira, o TJ/SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) revogou mandados de prisão expedidos contra o ex-prefeito de Corumbá Ricardo Cândia, que é ex-diretor de Planejamento da Prefeitura de Campinas; do ex-diretor da Sanesul e da Sanasa (Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A), Aurélio Cance Júnior, e do ex-secretário de Cultura em Campo Grande, Francisco Lagos, que foi coordenador de Comunicação na cidade do interior paulista.

O Ministério Público investiga, desde 2009, o possível envolvimento de integrantes do alto escalação da prefeitura campinense, supostamente chefiados pela mulher do prefeito e ex-chefe de gabinete, Rosely Nassim, na cobrança de propina nos processos de licitações de obras e serviços da Sanasa. O ex-prefeito de Corumbá é apontado como braço direto de Rosely Nassim.

Cerca de R$ 615 milhões foram desviados dos cofres públicos em várias cidades paulistas e de outros estados.

O escândalo motivou pedido de impeachment e protesto contra o prefeito de Campinas, Dr. Hélio de Oliviera (PDT), disse ser vítima de perseguição do PSDB e que conta do apoio do ex-presidente Lula, da presidente Dilma Rousseff (PT) e até José Dirceu. (Com informações da Agência Estado)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions