ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, TERÇA  28    CAMPO GRANDE 19º

Política

Com apoio de Simone e Soraya, CPI do MEC atinge mínimo de assinaturas

Processo foi retomado após a prisão do ex-ministro Milton Ribeiro, acusado corrupção na pasta da educação

Por Jhefferson Gamarra | 23/06/2022 13:13
Senadoras de Mato Grosso do Sul favoráveis a abertura da CPI (Foto: Arquivo/CG News)
Senadoras de Mato Grosso do Sul favoráveis a abertura da CPI (Foto: Arquivo/CG News)

As senadoras Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronick (União) assinaram o requerimento para a instalação da CPI do MEC (Ministério da Educação) no Congresso Nacional. Terceiro integrante da bancada, o senador Nelson Trad (PSD) ainda não se manifestou se irá assinar o requerimento para investigar irregularidades na pasta da educação.

De acordo com o proponente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede), foram colhidas as 27 assinaturas necessárias para a abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito). O parlamentar, líder da oposição no Senado, retomou o processo após a prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, acusado participação em esquema de corrupção de corrupção envolvendo pastores e a liberação de recursos do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação).“Logo mais concederei coletiva à imprensa sobre abertura da CPI do MEC”, confirmou o proponente em sua conta no twitter.

Da bancada sul-mato-grossense, apenas as senadoras Soraya Thonick e Simone Tebet assinaram o requerimento para abertura da CPI. “Diante dos novos fatos assinei a CPI do MEC. Algumas reações posteriores (contrárias) nos bastidores sinalizam que fiz a coisa certa, e os fortes indícios apontam para possível caso de corrupção. Covardia não faz parte do meu vocabulário”, confirmou a senadora Soraya Thronick, que até então era contrária a abertura da comissão para investigar a pasta.

A pré-candidata a presidência da república, Simone Tebet (MDB), já havia se posicionado favoravelmente a abertura de uma comissão para investigar as suspeitas de corrupção no Ministério da Educação.

“A prisão preventiva do ex-ministro e de lobistas por suspeita de corrupção revela todo desmando que virou a Educação neste governo. O que deveria ser prioridade nacional e política de Estado, virou manchete policial”, disse Simone Tebet.

A reportagem procurou o senador Nelson Trad (PSD), por meio da assessoria de imprensa para questionar se parlamentar iria assinar ou não o requerimento, mas até a publicação da reportagem não houve retorno.

Confira a lista de Senadores que assinaram o requerimento para abertura da CPI, segundo divulgação do proponente, senador Randolfe Rodrigues:

  1. Soraya Thronicke (União Brasil)
  2. Simone Tebet (MDB)
  3. Randolfe Rodrigues (Rede-AP)
  4.  Paulo Paim (PT-RS)
  5. Humberto Costa (PT-PE)
  6. Rafael Tenório, suplente de Renan Calheiros (MDB-AL)
  7. Fabiano Contarato (PT-ES)
  8. Jorge Kajuru (PODEMOS-GO)
  9. Zenaide Maia (PROS-RN)
  10. Paulo Rocha (PT-PA)
  11. Omar Aziz (PSD-AM)
  12. Rogério Carvalho (PT-SE)
  13. José Antonio Reguffe (União Brasil-DF)
  14. Leila Barros (PDT-DF)
  15.  Jean Paul Prates (PT-RN)
  16.  Jaques Wagner (PT-BA)
  17. Eliziane Gama (Cidadania-MA)
  18. Mara Gabrilli (PSDB-SP)
  19. Nilda Gondim (MDB-PB)
  20. Veneziano Vital (MDB-PB)
  21. José Serra (PSDB-SP)
  22. Tasso Jereissati (PSDB-CE)
  23. Cid Gomes (PDT-CE)
  24. Alessandro Vieira
  25. Dário Berger (PSB-SC)
  26. Eduardo Braga (MDB-AM)
  27. Giordano (MDB-SP)
Nos siga no Google Notícias